Sob melancolia histórica: o pós-64 em “Moço em estado de sítio”, de Oduvaldo Vianna Filho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102442022e0109

Palavras-chave:

Melancolia, Oduvaldo Vianna Filho, Teatro político, Ditadura

Resumo

Este trabalho se propôs a examinar a elaboração da melancolia em Moço em estado de sítio, de Oduvaldo Vianna Filho, escrita logo após o golpe militar de 1964. Por meio da leitura analítica dessa produção dramatúrgica, foi analisado de que forma as tensões e desavenças que permeiam as personagens centrais, bem como a própria estrutura da narrativa, traçam uma espécie de diagnóstico melancólico do país diante da fratura social e do mal estar advindos do regime militar, assim como da estagnação de uma geração de intelectuais e artistas que se viu, após 64, igualmente sitiada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Bio Toledo, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutor em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (USP).  Professor de Literatura e Teatro da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Nathália Cioffi de Lima, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Mestranda do departamento de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Graduada em Jornalismo pela PUC-Minas.

Referências

ARANTES, Paulo Eduardo. O novo tempo do mundo: e outros estudos sobre a era da emergência. São Paulo: Boitempo, 2014.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BETTI, Maria Silvia. Oduvaldo Vianna Filho. São Paulo: Edusp, 1997.

FREUD, Sigmund. Luto e Melancolia. Trad. Marilene Carone. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

O DESAFIO. Direção de Paulo César Saraceni. Rio de Janeiro: Imago; Mapa Filmes, 1965.

NOSELLA, Berilo Luigi Deiró; ISSENE, Leticia Gouvea. Entre a estética e o político: caráter popular, “qualidade estética” e teatro brasileiro. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 27, p. 296-314, 2016. DOI: 10.5965/1414573102272016296. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/7714. Acesso em: 14 jun. 2022.

LIMA, Luiz Costa. Melancolia: Literatura. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2017.

SARACENI, Paulo César. Por dentro do cinema novo: minha viagem. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

SCHWARZ. Roberto. Cultura e política, 1964-1969. In: SCHWARZ. Roberto. O pai de família e outros estudos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

SCHWARZ. Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo. 4ª Ed. São Paulo: Duas Cidades/Ed. 34, 2000.

STAROBINSKI, Jean. A melancolia diante do espelho: Três leituras de Baudelaire. Trad. Samuel Titan Jr. São Paulo: Editora 34, 2014.

TOLEDO, Paulo Bio. A ambivalência do protesto no teatro e na canção no Brasil pós-1964. Sala Preta, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 180-190, 2015. DOI: 10.11606/issn.2238-3867.v15i1p180-190. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/96014. Acesso em: 11 ago. 2022.

TOLEDO, Paulo Bio. Posfácio: Moço em estado de sítio. In: VIANNA FILHO, Oduvaldo. Moço em estado de sítio. São Paulo: Editora Temporal, 2021.

VIANNA Filho, Oduvaldo. Mão na luva. São Paulo: Editora Temporal, 2021a.

VIANNA Filho, Oduvaldo. Moço em estado de sítio. São Paulo: Editora Temporal, 2021b.

VIANNA Filho, Oduvaldo. Um pouco de pessedismo não faz mal a ninguém. In. PEIXOTO, Fernando (Org.) Vianinha: Teatro, televisão e política. São Paulo: Brasiliense, 1983.

VILLARES, Rafael de Souza. Entre a instabilidade e a melancolia: o retrato da militância no pós-1964 em “Moço em Estado de Sítio”. Disponível em: https://temporaleditora.com.br. Acesso em: 28 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

TOLEDO, P. B.; LIMA, N. C. de. Sob melancolia histórica: o pós-64 em “Moço em estado de sítio”, de Oduvaldo Vianna Filho. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 44, p. 1-17, 2022. DOI: 10.5965/1414573102442022e0109. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22270. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Produção de dramaturgia a partir do Sul - Perspectivas críticas