Petformances – Arte relacional como poéticas do cuidado para/com/por animais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102412021e0125

Palavras-chave:

Petformance, Arte relacional, Animais, Natureza

Resumo

O artigo propõe cultivar os encantos e as forças de vida por meio da criação de performances com, para e por animais, chamadas “petformances”, linguagem artística do campo da performance, que comecei a desenvolver durante a pandemia em parceria com o cachorro Buda, do qual sou tutora. Descreve de forma cartográfica o processo que conduziu a experimentação desse tipo de performance relacional em tempos de distanciamento social, focalizando os aprendizados profundos trazidos pelos animais e as possibilidades de multiplicação dessas práticas, por meio de cursos e oficinas, em uma perspectiva que descentraliza a visão do humano e valoriza a criatividade dos animais.

Biografia do Autor

Tania Alice, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Professora de Atuação Cênica (performance) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde leciona e orienta projetos de criação na Graduação e na Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado). Performer que trabalha com projetos de performance que se constituem como uma interseção entre projeto terapêutico, social e budista.

Referências

ALICE, Tania. Performance como revolução dos afetos. São Paulo: Annablume, 2016.

ALICE, Tania. Manual para performers e não-performers. Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2020.

ANDERSON, Karen. Por que os gatos são assim? São Paulo: Publifolha, 2001.

BISHOP, Claire. Participatory Art and the Politics Spectatorship. London: Verso, 2012.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. Trad. de Denise Bottmann. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

DESPRET, Vinciane. Que diraient les animaux, si... on leur posait les bonnes questions? Paris: La Découverte, 2011.

FEITOSA, Charles. O silêncio dos animais. In. LINS, Daniel; OLIVEIRA, Nilson; BARROS, Roberto (Orgs.). Nietzsche/Deleuze: Natureza/Cultura. São Paulo: Lumme Editor, 2011.

HOOKS, Bell. O amor como a prática da liberdade: bell hooks.

(Love as the practice of freedom). Trad. para uso didático de Wanderson Flor do Nascimento, do original: Outlaw Culture. Resisting Representations. Nova Iorque: Routledge, 2006, p. 243–250. Disponível em: https://medium.com/enugbarijo/o-amor-como-a-pr%C3%A1tica-da-liberdade-bell-hooks-bb424f878f8c].

JUNIOR, Moacir. Tentativas de capturar o sensível: a fotoperformance e as artes presenciais. Revista Concept. São Paulo, v. 7, n. 1, p. 92-101, jan./jun. 2018.

PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (Orgs.). Pistas do método da cartografia: pesquisa intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2014.

KESTER, Grant. Conversation pieces: community and communication. In: Modern art. Los Angeles: California Press, 2004.

KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Cia das Letras, 2020.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Cia das Letras, 2018.

MASSUMI, Brian. O que os animais nos ensinam sobre política. Trad. de Francisco Trento e Fernanda Mello. São Paulo: n-1 edições, 2017.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

ROLNIK, Suely. Esferas da Insurreição: notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n.1 edições, 2019.

SERVIGNE, Pablo; CHAPELLE, Gauthier. L’entraide, une autre loi de la jungle. Paris: Les liens qui libèrent, 2017.

SIMAS, Luiz A.; RUFINO, Luiz. Encantamento: sobre política de vida. São Paulo: Morula, 2020.

TEIXEIRA, Renata. Performances do Encontro: práticas performativas em tempos de presença real e virtual. 2016. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016.

PISA, João Paulo; TACITO, Jorge; LEME, Denise. A arte como instrumento de ensino de bem-estar animal. Revista Pubvet, v. 13, n. 7, p. 1-7, 2019.

WERÁ, Kaká Werá. História indígena do Brasil contada por um índio. São Paulo: Peirópolis, 1998.

Referências filmográficas

The Animal Communicator: what if you could talk to animals. Direção de Swati Thiyagarajan & Craig Foster. Documentário. África do Sul: Natural History Unit Africa, 2012, 52 min.

Professor Polvo (My Octopus Teacher). Direção de Pippa Ehrlich & James Reed. Documentário – Ciência e Natureza. África do Sul: Netflix, 2020, 85 min.

Downloads

Publicado

2021-09-16

Como Citar

ALICE, T. Petformances – Arte relacional como poéticas do cuidado para/com/por animais. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 41, p. 1-20, 2021. DOI: 10.5965/1414573102412021e0125. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/20006. Acesso em: 5 dez. 2021.