Sobre Corpos Dóceis e Conchas: Processos de Trabalho nas Oficinas de Meia-Máscara do Grupo Manjericão

Autores

  • Márcio Silveira dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103302017077

Resumo

O presente artigo aborda o trabalho desenvolvido nas oficinas de meia-máscara do Grupo Manjericão, de Porto Alegre – RS, com um recorte a partir das práticas de duas oficinas realizadas nas cidades de Manaus (AM) e Macapá (AP). Analiso as transformações ocorridas nestas oficinas tendo como mote questões levantadas por Maria Brígida de Miranda a respeito da docilização dos corpos nas práticas de formação do ator. Bem como teço reflexões sobre os processos disciplinares destas práticas, na perspectiva de Foucault, na constituição de um tipo específico de corpo; dócil!

 

 

Biografia do Autor

Márcio Silveira dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Teatro da UDESC. Mestre em Artes Cênicas pelo PPGAC/UFRGS. Ator, diretor, dramaturgo, produtor, articulador da RBTR.

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

SANTOS, M. S. . dos. Sobre Corpos Dóceis e Conchas: Processos de Trabalho nas Oficinas de Meia-Máscara do Grupo Manjericão. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 30, p. 077-089, 2017. DOI: 10.5965/1414573103302017077. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573103302017077. Acesso em: 1 ago. 2021.

Edição

Seção

Fluxo Continuo