The Hot one Hundred Choreographers: a tênue fronteira de memeplexos

Autores

  • Marcos Bragato Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102292017059

Resumo

A aptidão Memética de The Hot one Hundred Choreographers, de Cristian Duarte, encontra-se na postura da tênue fronteira entre o que se pode evocar e o que se pode acrescentar nas 100 unidades artísticas enformadas historicamente e constituintes de conjuntos de memeplexos, os conjuntos de unidades culturais, em dança. A aptidão memética de Hot100 reside na capacidade de realizar um jantar comensal de conjuntos meméticos “rivais” em uma dança-lista. Ela se dá semanticamente por meio de engenhosa replicação sintática, e informa que se pode superar a revisita. Retornar a essa maquinaria memética pertence a outro conjunto de memes: os da apropriação dos arquivos, os da ressignificação de conjuntos de memes em dança e o engendrar de novas instruções a partir de ideias comumente aceitas. Por isso, os memes mais comuns são comuns porque são bons replicadores, trabalham em vantagem própria e não do corpo que os expressam

Biografia do Autor

Marcos Bragato, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN

Coordenador e Professor da Licenciatura em Dança do Departamento de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN/RN. Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Downloads

Publicado

2017-11-02

Como Citar

BRAGATO, M. The Hot one Hundred Choreographers: a tênue fronteira de memeplexos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 29, p. 059-076, 2017. DOI: 10.5965/1414573102292017059. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102292017059. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Fluxo Continuo