O discurso das Tiddas: dramaturgas aborígenes australianas

Autores

  • Maryrose Casey Monash University (AUS) e PhD em Theatre and Drama da La Trobe University (AUS)
  • Carolina Gosch Figner de Luna Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Kysy Amarante Fischer Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Lívia Sudare de Oliveira Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102212013192

Resumo

Todas as indígenas compartilham a experiência de serem mulheres e indígenas numa sociedade que as deprecia. Consequentemente, existirão temas comuns, característicos e dominantes no posicionamento das mesmas. Tais temas incluem o compartilhamento do legado da desapropriação, racismo e sexismo, assim como anos de resistência e substituição das imagens depreciativas, construídas sobre elas, por imagens que as definam e que sejam construídas por elas mesmas; além da continuação do ativismo como mães, irmãs, tias, filhas, avós e líderes comunitárias, bem como a negociação de políticas sexuais através e entre culturas. Tal ponto de vista não nega a diversidade de experiências das indígenas, visto que experiências concretas diferentes moldam as suas relações com essas questões centrais. Levantar uma perspectiva sobre a mulher indígena também requer a consciência, o respeito e o cumprimento do protocolo cultural indígena.  (Aileen Moreton-Robinson)

 

Biografia do Autor

Maryrose Casey, Monash University (AUS) e PhD em Theatre and Drama da La Trobe University (AUS)

Professora associada à Monash University (AUS) e PhD em theatre and Drama da La trobe University (AUS). A sua tese Creating frames; contemporary indigenous theatre 1967-97 foi publicada pela University of Queensland Press. o livro foi premiado com o Australasian Drama, da theatre and Performance Association Rob Jordan Prize e co-vencedor da Association for the Study of Australian Literature Walter McRae Russell Award.

Carolina Gosch Figner de Luna, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Bolsista CAPES, do Programa de Pós-Graduação em teatro (Mestrado), da Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC. Ambas são orientandas da Profa. Dra. Maria Brígida de Miranda. 

Kysy Amarante Fischer, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Bolsista CAPES, do Programa de Pós-Graduação em teatro (Mestrado), da Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC. Ambas são orientandas da Profa. Dra. Maria Brígida de Miranda.

Lívia Sudare de Oliveira, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Bolsista CAPES, do Programa de Pós-Graduação em teatro (Doutorado), da Universidade do Estado de Santa Catarina- UDESC e orientanda da Profa. Dra. Vera Collaço.

Downloads

Publicado

2018-12-14

Como Citar

CASEY, M.; DE LUNA, C. G. F.; FISCHER, K. A.; DE OLIVEIRA, L. S. O discurso das Tiddas: dramaturgas aborígenes australianas. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 21, p. 192-207, 2018. DOI: 10.5965/1414573102212013192. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102212013192. Acesso em: 26 jul. 2021.

Edição

Seção

Traduções 2013/1