A experiência sensorial e a experiência sensível nas artes

Autores

  • Vivian de Camargo Coronato Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Tereza Mara Franzoni Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102212013142

Resumo

Este artigo pretende abordar a questão dos sentidos e do sensível no campo artístico. Serão elencados alguns autores que manifestam uma posição crítica em relação ao domínio do sentido da visão na cultura ocidental. Será indicado também como os sentidos considerados “baixos” (olfato, paladar e tato) foram perdendo a sua importância nas artes, principalmente no teatro, quando, a partir do século XVIII, cada sentido foi sendo referenciado a uma linguagem artística. Apontaremos como os sentidos adquirem um novo lugar de importância do fim do século XIX em diante. 

Biografia do Autor

Vivian de Camargo Coronato, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em teatro da Universidade do Estado de Santa Catariana (PPGt-UDESC).

Tereza Mara Franzoni, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professora doutora do CEART/UDESC

Downloads

Publicado

2013-12-14

Como Citar

CORONATO, V. de C.; FRANZONI, T. M. A experiência sensorial e a experiência sensível nas artes. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 21, p. 142-151, 2013. DOI: 10.5965/1414573102212013142. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102212013142. Acesso em: 1 ago. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Teatro, gênero e feminismos