Modos de composição em artes presenciais: políticas inventivas nas ações modulares do coletivo Mapas e Hipertextos

Autores

  • Milene Lopes Duenha Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Paloma Bianchi Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Raquel Purper Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101262016218

Resumo

Políticas de relação e política como tema: como articular os dois entendimentos de política em ações artísticas que encontram-se alicerçadas pela noção de invenção? O que aparece primeiro no processo de composição em artes presenciais: o significado que permite a ampliação para os sentidos, ou os procedimentos que experienciam sentidos diversos e os convergem em significado? Questões como essas norteiam a escrita deste artigo que apresenta alguns relatos e conexões advindos de experiências compositivas desenvolvidas pelo Mapas e Hipertextos, coletivo de pesquisa e criação, sediado em Florianópolis-SC.  Algumas pistas se revelam na trama entre teorias de pesquisadores como Bruno Latour, Virgínia Kastrup e Jacques Rancière e descrições de experiências de integrantes do coletivo durante o processo de desenvolvimento de duas ações modulares que integram o trabalho intitulado Sem Cabimento (2015).

Biografia do Autor

Milene Lopes Duenha, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Atriz, bailarina e performer, possui graduação em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Londrina/PR e pósgraduação em Artes visuais / Arte educação pela mesma universidade. É meste em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina, e atualmente realiza uma pesquisa de doutorado nesse mesmo programa de pósgraduação em Teatro. Pesquisa noções de presença em relação na experiência artística e investiga possibilidades compositivas em arte considerando a presença do artista como implicação ética. Interessa-se
por questões ligadas ao corpo e seus modos de estar/fazer como potência de afeto. Atua na intersecção entre as linguagens da dança, da performance e do teatro desenvolvendo uma pesquisa artística no Coletivo Mapas e Hipertextos de Florianópolis - SC. É arte-educadora desde 1998.

Paloma Bianchi, Universidade do Estado de Santa Catarina

Bailarina, professora e pesquisadora. Graduada em Comunicação das artes do corpo com especialização em performance. Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Doutoranda em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

Raquel Purper, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduada em Jornalismo e Direção Teatral. Mestra em Artes Cênicas. Doutoranda em Teatro.

Downloads

Publicado

2016-07-31

Como Citar

DUENHA, M. L.; BIANCHI, P.; PURPER, R. Modos de composição em artes presenciais: políticas inventivas nas ações modulares do coletivo Mapas e Hipertextos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 26, p. 218 - 234, 2016. DOI: 10.5965/1414573101262016218. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101262016218. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Desafios do teatro político