“Amigos e companheiros de Vianna”: memória e identidade espírita em disputa na biografia Vianna de Carvalho, o tribuno de Icó

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180315392023e0103

Palavras-chave:

mamória, identidade, espiritismo, Vianna de Carvalho

Resumo

Este artigo problematiza historicamente a biografia de uma grande personalidade do Espiritismo no Brasil, intitulada “Vianna de Carvalho. O tribuno de Icó” (1999), de Luciano Klein Filho, tendo em vista que a sua publicação e o enredo da obra fazem parte de um projeto mais amplo de construção memorial com vistas à legitimação do grupo ao qual se vincula o autor e dirigente da Federação Espírita do Estado do Ceará-FEEC (1990). Explorando a temática das disputas religiosas no meio espírita a partir da história do tempo presente, relaciona-se a obra de Klein Filho como demarcadora de uma historicidade das origens do movimento espírita local nos quadros da disputa pela afirmação de sua identidade frente ao grupo federativo concorrente, organizado na União das Sociedades Espíritas do Estado do Ceará (1993). Na análise desponta a percepção de que Klein Filho, como voz autorizada a dialogar com o passado espírita local, entabulando relações com grandes médiuns e espíritas nacionais, desenvolve complexo jogo de legitimações que são capitalizadas pelo grupo da FEEC, no bojo de sua aliança com a Federação Espírita Brasileira. Conclui-se que, ao longo das três últimas décadas, os empreendimentos memorialísticos biográficos garantiram maior legitimação histórica ao grupo febiano no Ceará, ao mesmo tempo em que impulsionaram uma tomada de ação do grupo opositor no sentido de investimento memorialístico a partir de outros marcos históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos José Diniz Silva, Universidade Estadual do Ceara

Professor do Curso de História da Universidade Estadual do Ceará - UECE-CH e do Programa de Po´s-Graduação em História, Culturas e Espacialidades - PPGHCE/UECE. Pós-Doutor em Memória Social e Bens Culturais, Universidade La Salle/Canoas-RS.  Mestre e Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Graduado e Especialista em História. Trabalha com história das religiões, historia das ideias, maçonaria e espiritismo. Tem artigos publicados em periódicos especializados e é autor dos livros: Maçons, espíritas e teosofistas: afinidades eletivas e espiritualismo no Ceará do século XX. Fortaleza: EdUECE, 2016. No Compasso do Progresso: a Maçonaria e os trabalhadores cearenses. Fortaleza: Expressão Gráfica/NUDOC-UFC, 2007.

Referências

AGNOLIN, Adone. História das religiões: perspectiva histórico-comparativa. São Paulo: Paulinas, 2013.

ALBUQUERQUE, Eduardo Basto de. A história das religiões. In: USARSKI, Frank. (org.). O espectro disciplinar da ciência da religião. São Paulo: Paulinas, 2007. p.19-52.

ARRIBAS, Célia da Graça. Espíritas de todo o Brasil, uni-vos! meandros da unificação espírita na primeira metade do século XX. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 37, n. 3), p. 150-172, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rs/a/gv6ZgtCmqMFdtGcSynQTynx/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 1 set. 2021.

BOURDIEU, Pierre; CHARTIER Roger. A leitura: uma prática cultural. In: BOURDIEU, Pierre; CHARTIER Roger; BRESSON, François (orgs.). Práticas da leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 1996. p. 242-143.

BOURDIEU, Pierre. A dissolução do religioso. In: BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004. p.119 -125.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. 2. ed. São Paulo: Editora da USP, 2008.

CAMURÇA, Marcelo. Controvérsias atuais no espiritismo brasileiro: conservadorismo e determinismo ou hermenêutica e mediações na relação como “plano espiritual”. In: GOMES Adriana; CUNHA, André Victor; PIMENTEL, Marcelo Gulão. Espiritismo em perspectiva. Salvador: Sagga Editora, 2019. p. 200-222.

CANDAU, Joel, Memória e identidade. São Paulo: Editora Contexto, 2016.

CHARTIER, Roger. A visão do historiador modernista. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (orgs.). Usos e abusos da história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000. p. 215-218.

DOSSE, François. O desafio biográfico: escrever uma vida. 2. ed., São Paulo: Edusp, 2015.

GAMA, Ramiro. Seareiros da primeira hora. Guanabara: Editora Eco, 1968.

GODOY, Paulo Alves. Os grandes vultos do espiritismo. São Paulo: Editora FEESP, 1981.

HALBWCHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice: Editora Revista dos Tribunais, 1990.

JULIA, Dominique. História religiosa. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (orgs.). História: novas abordagens. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora, 1976. p.106-131.

KLEIN FILHO, Luciano; CAJAZEIRAS, Francisco (orgs.). Palavras de Vianna de Carvalho. Fortaleza: Edições FEEC, 1995.

KLEIN FILHO, Luciano. Vianna de Carvalho. O tribuno de Icó. Niterói: Lachâtre, 1999.

KLEIN FILHO, Luciano. Memórias do espiritismo no Ceará: as vidas de grandes vultos a sua contribuição para a grandeza da Seara espírita. Fortaleza: DPL-Editora e Distribuidora de Livros; Centro de documentação Espírita do Ceará, 2000.

KLEIN FILHO, Luciano. Bezerra de Menezes: fatos e documentos. Rio de Janeiro: Lachâtre; CAPEMI, 2000.

KLEIN FILHO, Luciano. A mensagem eterna de Vianna de Carvalho. São Paulo: DPL, 2002.

KLEIN FILHO, Luciano. Viana de Carvalho. 80 anos de desencarnação. Reformador. Revista de Espiritismo Cristão, Ano 124, v. 2, n.131, p.27-29, out. 2006.

KLEIN FILHO, Luciano. Bezerra de Menezes: o homem, seu tempo e sua missão. Fortaleza: FEEC, 2021.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise. Tradução Luciana Villas-Boas Castelo-Branco. Rio de Janeiro: EDUERJ; Contraponto, 1999.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

LEWGOY, Bernardo. O grande mediador: Chico Xavier e a cultura brasileira. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

MACHADO, Ubiratan. Os intelectuais e o espiritismo. Niterói: Publicações Lachatre, 1997.

MATA, Sérgio da. História & Religião. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

NAUDON, Paul. A franco-maçonaria. A história. A doutrina. Os ritos. As obediências. Sintra [Portugal]: Publicações Europa-América, 2000.

POLLACK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n.10, p. 200-215, 1992.

ROUSSO, Henry. A memória não é mais o que era. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. p. 93-101.

SILVA, Marcos Jose Diniz; ISAIA, Artur César. Memória e construção da identidade espírita. As relações entre Divaldo Franco e Vianna de Carvalho. In: GOMES Adriana; CUNHA, André Victor; PIMENTEL, Marcelo Gulão. Espiritismo em perspectiva. Salvador: Sagga Editora, 2019. p.183-199.

SILVA, Marcos Jose Diniz. Maçons, espíritas e teosofistas: afinidades eletivas e espiritualismo no Ceará do século XX. Fortaleza: EdUECE, 2016.

TÉTART, Philippe; CHAUVEAU, Agnès. Questões para a história do presente. In: TÉTART, Philippe; CHAUVEAU, Agnès (orgs.). Questões para a história do presente. Bauru: EDUSC, 1999. p. 7-37.

UNIÃO DA SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DO CEARÁ. [S.l.], 2016. Disponível em: https://useece.blogspot.com/2016/01/cronologia-ilustrada-do-geap-grupo.html. Acesso em: 9 jun. 2018.

VIDAL, César. Os maçons: a sociedade secreta mais influente da história. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2006.

WANTUIL, Zeus. Grandes espíritas do Brasil. Rio de Janeiro: Editora FEB, 1969.

WEBER, Max. Economia e sociedade: vol.1. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1994.

Downloads

Publicado

2023-09-23

Como Citar

SILVA, Marcos José Diniz. “Amigos e companheiros de Vianna”: memória e identidade espírita em disputa na biografia Vianna de Carvalho, o tribuno de Icó. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 15, n. 39, p. e0103, 2023. DOI: 10.5965/2175180315392023e0103. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180315392023e0103. Acesso em: 1 mar. 2024.