MDB e ARENA nas charges: a imagem do sistema bipartidário da ditadura em disputa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180314372022e0102

Resumo

O artigo estuda e interpreta as mensagens políticas de um conjunto de charges veiculadas por cinco jornais da grande imprensa brasileira (Correio da Manhã, Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo e Última Hora) a respeito do sistema bipartidário vigente na ditadura militar entre os anos de 1966 e 1979. O propósito é analisar as diferentes maneiras como as charges representaram os partidos para o seu público leitor, levando em consideração as mudanças que ocorreram ao longo do tempo e os posicionamentos dos chargistas e respectivas empresas jornalísticas frente ao projeto político do regime ditatorial.

Palavras-chave: ditadura; partidos; MDB e Arena; charges; imprensa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMO, Cláudio. A regra do jogo. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). Bauru: Edusc, 2005.

CARVALHO, Alessandra. Elites políticas e ditadura militar: um estudo sobre parlamentares da Arena e MDB. 2008. Tese (Doutorado em Sociologia) – UFRJ, Rio de Janeiro, 2008.

CODATO, Adriano. O golpe de 1964 e o regime de 1968: aspectos conjunturais e variáveis históricas. História – Questões & Debates, Curitiba, n.40, p.11-36, 2004.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 1901-1974.

DUWE, Ricardo. Entre técnica e tradição: relações e culturas políticas na ARENA catarinense (1971-1975). 2016. Dissertação (Mestrado em História) – UDESC, 2016.

FAGUNDES, Pedro Ernesto. Anistia: das mobilizações das mulheres na ditadura militar às recentes disputas sobre o passado. Vitória: Milfontes, 2019.

FOLHA DE S. PAULO. São Paulo, 1921- .

GRINBERG, Lúcia. Partido político ou bode expiatório: um estudo sobre a Aliança Renovadora Nacional (Arena), 1965-1979. Rio de Janeiro: Mauad, 2009.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, 1891- .

KINZO, Maria D’Alva Gil. Oposição e autoritarismo: gênese e trajetória do MDB (1966-1979). São Paulo: Vértice, 1988.

LAMOUNIER, Bolívar. Voto de desconfiança: eleições e mudança política no Brasil, 1970-1979. Petrópolis: Vozes, 1980.

MADEIRA, Rafael Machado. ARENA ou ARENAs? A coesão partidária da legenda do regime em três estados brasileiros. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciência Política)– UFRGS, Porto Alegre, 2002.

MARTINS FILHO, João Roberto. O palácio e a caserna: a dinâmica militar das crises políticas na ditadura (1964-69). 2. ed. São Paulo: Alameda, 2019.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Partido e sociedade: a trajetória do MDB. Ouro Preto: UFOP, 1997.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Passados presentes: o golpe de 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Zahar, 2021.

NADER, Ana Beatriz. Os autênticos do MDB. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo, 1875- .

RÊGO, Antônio Carlos Pojo do. O Congresso brasileiro e o regime militar (1964- 1985). Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2008.

RODEGHERO, Carla et al. Anistia ampla, geral e irrestrita: história de uma luta inconclusa. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2011.

SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. Crise da ditadura militar e o processo de abertura política no Brasil, 1974-1985. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves (orgs.). O tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. p. 243-282.

SOBREIRA, Dmitri. Poder local, partido político e ditadura militar: a Aliança Renovadora Nacional (Arena) na Paraíba (1969-1979). Tese (Doutorado em História), UFMG, Belo Horizonte, 2021.

ÚLTIMA HORA. Rio de Janeiro, 1951-1991.

VELASCO E CRUZ, Sebastião; MARTINS, Carlos Esteva. De Castello a Figueiredo. In: SORJ, Bernardo; ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares de (orgs.). Sociedade e política no Brasil pós-64. São Paulo: Brasiliense, 1983. p. 13-61.

Downloads

Publicado

2022-12-20

Como Citar

MOTTA, R. P. S. MDB e ARENA nas charges: a imagem do sistema bipartidário da ditadura em disputa. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 14, n. 37, p. e0102, 2022. DOI: 10.5965/2175180314372022e0102. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180314372022e0102. Acesso em: 6 fev. 2023.