O “tesouro perdido” da justiça de transição brasileira: a CNV, as comissões universitárias e o trabalho dos historiadores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180313322021e0501

Resumo

O artigo trata de apresentar e analisar a experiência da autora como coordenadora dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade com as comissões universitárias. Ainda, busca refletir sobre o papel social do historiador e os desafios éticos implicados. Igualmente, procura mostrar a importância da participação dos historiadores nos processos de justiça transicional para além da construção de uma memória histórica e a abertura de novos acervos sobre o passado ditatorial.

Biografia do Autor

Angélica Müller, Universidade Federal Fluminense

Doutora em História pela Universidade de Paris I, Panthéon-Sorbonne, UP1 (França)

Referências

GOIRAND, C.; MULLER. A.(dir). Documenter les violances: usages publics du passé dans la justice transitionelle. Paris : Iheal, 2020. p. 61-84. Sob o título: La Commission nationale de vérité (CNV) et les universités au Brésil : les historiens pris dans la justice transitionnelle

Downloads

Publicado

2021-04-26

Como Citar

Müller, A. (2021). O “tesouro perdido” da justiça de transição brasileira: a CNV, as comissões universitárias e o trabalho dos historiadores. Revista Tempo E Argumento, 13(32), e0501. https://doi.org/10.5965/2175180313322021e0501