Das massas e dos eleitores: povo, democracia e disputa política 1950-1960

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180313322021e0209

Resumo

Este artigo analisa as transformações nas linguagens políticas da década de 1950 no Brasil. Mais especificamente, os atos de fala relacionados à democracia e às avaliações feitas sobre a ampliação do voto, bem como em relação ao desenvolvimento econômico do país. Foram analisados editoriais de jornais de circulação nacional – Correio da Manhã, Tribuna da Imprensa, A Noite, Última Hora e Jornal do Brasil – durante as campanhas presidenciais de 1950, 1955 e de 1960. O pós-guerra no Brasil foi marcado pela perspectiva da mudança das estruturas nacionais. A percepção da necessidade de transformações sociais, econômicas e políticas esteve diretamente ligada a uma concepção de temporalidade própria desses “anos eufóricos”. Esse cenário foi marcado pelo processo de democratização do Brasil e pela busca por desenvolvimento econômico. Os conceitos de democracia e desenvolvimento, neste sentido, serão disputados nas páginas dos jornais em meio ao intenso contexto político. A análise é feita a partir das contribuições da história dos conceitos e do contextualismo linguístico, entendidas neste artigo enquanto complementares do ponto de vista teórico e metodológico.

Biografia do Autor

Luís Reznik, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Professor Associado na UERJ

Departamento de Ciências Humanas

Programa de Pós GRaduação em História Social PPGHS-UERJ

ProfHistória

Pesquisador Produutividade CNPq

Cientista do Nosso Estado FAPERJ

Mário Ângelo Brandão Miranda, Pontificia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Doutor em História pelo Programa Pós Graduação em História Social da Cultura da PUC-Rio e Doutor pelo Instituto de Historia da PUC-Chile em duplo grau. (2014)

Professor Agregado do Departamento de Historia da PUC-Rio

 

Pablo de Oliveira de Mattos, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Doutor em Historia Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Estágio Pós-Doutoral na Université Libre de Bruxelles.

Referências

ABREU, Alzira Alves de; BELOCH, Isabel; LATTMAN-WELTMAN, Fernando e LAMARÃO, Sérgio Tadeu de Niemeyer (coord.). Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós 1930. Rio de Janeiro: Ed. FGV/CPDOC, 2001.

ABREU, Alzira Alves; LATTMAN-WELTMAN, Fernando; FERREIRA, Marieta de Moraes e RAMOS, Plínio de Abreu (org.). A imprensa em transição: o jornalismo brasileiro nos anos 50. Rio de Janeiro: editora FGV, 1996.

A LEGALIDADE e o contragolpe. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano VII, p. 4, 02 ago. 1955.

A NOVA proclamação da República. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano VII, p, 4, 20-21 ago. 1955.

ÀS URNAS pelo Brasil. Última Hora, Rio de Janeiro, edição Estado do Rio de Janeiro, ano X, n. 3151, p.1, 03 out. 1960.

ATA contra elites. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LX, n. 20696, 13 set. 1960. Tópicos & notícias, p. 6.

ATHAYDE, Tristão de. Cabeça e coração. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.223, p. 3, 22 set. 1960

BARBOSA, Leonardo Martins. Crise e transição na Revista Cultura e Política (1978-1982): uma análise do momento da abertura. 2010. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007

BENEVIDES, Maria Vitória de Mesquita. O governo Jânio Quadros. São Paulo: Brasiliense, 1981.

BENEVIDES, Maria Victoria. O governo Kubitschek: a esperança como fator de desenvolvimento. In: GOMES, Ângela Maria de Castro. O Brasil de JK. Rio de Janeiro: Editora da FGV/CPDOC, 1991. p. 9-22.

BEVIR, Mark. The Contextual Approach. In: KLOSKO, George. The Oxford handbook of the history of political philosophy. 1. ed. Oxford: Oxford University Press, 2011. p. 11-24.

BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1988

BETHELL, Leslie. Brasil. In: BETHELL, Leslie; ROXBOROUGH, Ian. Entre a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. p. 65-112.

BOTELHO, André; SCHWARCZ, Lilian. Simpósio: cinco questões sobre o pensamento social brasileiro. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, n. 82, p. 139-159, 2011.

BRITO, Chermont. Agricultura e industrialização. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.204, p. 3, 30 ago. 1960.

CHALOUB, Jorge Gomes de Souza. O Brasil dos bacharéis: um discurso liberal udenista. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, n. 107, p. 263-304, 2019.

COERÊNCIA de sr. Lafer. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LX, n. 20682, 27 ago. 1960. Tópicos & notícias, p. 6.

DEMOCRACIA sem instrumentos. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.195, p. 3, 19 ago. 1960

FEBVRE, Lucien. Honra e pátria. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. São Paulo: Globo Livros, 2006.

FERREIRA, Jorge. O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

FURTADO, Celso Furtado. A fantasia organizada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GOMES, Ângela Maria de Castro. A invenção do trabalhismo. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais; Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988.

GOMES, Ângela Maria de Castro. Introdução. In: GOMES, Ângela Maria de Castro. O Brasil de JK. Rio de Janeiro: Editora da FGV/CPDOC, 1991. p. 1-8.

GOMES, Ângela Castro. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. In: FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 17-57.

GRYNSZPAN, Mário. O período Jango e a questão agrária: luta política e afirmação de novos atores. In: FERREIRA, Marieta de Moraes. João Goulart; entre a memória e a história. Rio de Janeiro: FGV, 2006 p. 57-77.

GUIMARÃES, César. Vargas e Kubitschek: a longa distância entre a Petrobras e Brasília. In: CARVALHO, Maria Alice Rezende. (org.). República no Catete. Rio de Janeiro: Museu da República, 2001. p. 155-175.

HOROWITZ, David. A aliança para o progresso. In: PEREIRA, Luiz (org.). Perspectivas do capitalismo moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 1971. p. 237-266.

IDENTIDADE com os problemas. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano L, n. 17616, p.1, 19 ago. 1950.

JAGUARIBE, Helio. O nacionalismo na atualidade brasileira. Rio de Janeiro: ISEB/MEC, 1958.

JAGUARIBE, Helio. Que é o Ademarismo? In: CADERNOS DO NOSSO TEMPO. Rio de Janeiro: IBESP, n. 2, jan.-jun. 1954, p. 23-30.

JÂNIO é o terremoto cívico que cairá sobre esta Nação. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LX, n. 20678, p.16, 23 ago. 1960.

JASMIN, Marcelo Gantus; FERES JUNIOR, João. Uma história dos conceitos: debates e perspectivas. Rio de Janeiro: PUC-RIO: Edições Loyola: IUPERJ, 2006.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

LACERDA, Carlos. Editorial. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano II, p.3, 01 ago. 1950.

LACERDA, Carlos. Editorial. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano XII, p. 3, 23 ago. 1960.

LAVAREDA, Antônio. A democracia nas urnas: o processo partidário brasileiro. Rio de Janeiro: Rio Fundo Editora: IUPERJ, 1991.

LATTMAN-WELTMAN. A imprensa carioca nos anos 50: “os anos dourados”. In: ABREU, Alzira et al. (org.). A imprensa em transição. Rio de Janeiro: FGV, 1996. p. 157-187.

LIÇÕES da Argentina. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LV, n. 19153, p.6, 02 set. 1955.

LIMA, Hermes. Significação do Nacionalismo In: SCHWARTZMAN, Simon (org.). O pensamento nacionalista e os Cadernos do Nosso Tempo. Brasília: Editora UnB, 1988.

LOUREIRO, Felipe Pereira. Varrendo a democracia: Jânio Quadros e o Congresso Nacional. Revista Brasileira de História, São Paulo: ANPUH, v. 29, n. 57, p. 187-208 jan-jun, 2009.

MAIS um grande passo no caminho da democracia. Última Hora, ano X, n. 3153, Rio de Janeiro, p.4, 04 out. 1960.

MARINGONI, Gilberto. Simonsen versus Gudin a controvérsia pioneira do desenvolvimento. Desafios do desenvolvimento, [Brasília], IPEA, ano 9, edição 73, 2012, p. 72-78.

MATTOS, Pablo de Oliveira. Para aonde vamos?: crise e democracia no governo João Goulart. Rio de Janeiro: Ed. Multifoco, 2019.

MELO, Antônio Vieira de. O mal da multiplicidade dos partidos. A Noite, Rio de Janeiro, ano XXIX, n. 13581, p.3, 02 set. 1950.

MIRANDA, Mario Ângelo. Povo, democracia e legalidade nas linguagens políticas do Brasil (1945-1964) e do Chile (1939-1973) no contexto das experiências democráticas de massa. 2014. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; Pontificia Universidad Catolica de Chile, Rio de Janeiro; Santiago de Chile, 2014.

MIRANDA, Mario Ângelo. A deposição de Juan Perón e sua repercussão no ambiente político das eleições presidenciais brasileiras de 1955. Revista Eletrônica Boletim do TEMPO, Rio de Janeiro, Ano 5, n.11, p. 1-6, 2010a. Disponível em: www.tempopresente.org. Acesso em: 26 nov. 2013.

MIRANDA, Mario Ângelo. O Iseb seus intelectuais e a linguagem política dos anos 1950 no Brasil. Revista Eletrônica Boletim do TEMPO, Rio de Janeiro, Ano 5, n. 29, p. 1-7, 2010b. Disponível em: www.tempopresente.org. Acesso em: 25 nov. 2013.

MOREIRA, Vânia Maria Losada. Os anos JK: industrialização e modelo oligárquico de desenvolvimento. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília Neves de Almeida (org.). O Brasil republicano: o tempo da experiência democrática. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2003. v. 3. p. 155-194

NICOLAU, Jairo Marconi. História do voto no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

NOSSA responsabilidade perante o mundo. Última Hora, [s.l.], ano V, n. B1138, Rio de Janeiro, p.4, 07 out. 1955.

O BRIGADEIRO e as populações rurais. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano L, n. 17608, p.1, 10 ago. 1950.

O DRAMA da democracia. A Noite, Rio de Janeiro, ano XXIX, n.13610, p.3, 09 out. 1950. Ecos e novidades.

O NOSSO modo de ser a favor de Juarez. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano VII, p,3 22 set. 1955.

O PODER legítimo. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.233, p. 3, 04 out. 1960.

O PROGRAMA de Jânio. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.221, p. 3, 20 set. 1960.

O QUE ele dirá... Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano L, n. 17610, p.1, 12 ago. 1950.

O VOTO responsável. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano LXX, n.214, p. 3, 11 set. 1960.

PELEGOS do sindicato do golpe não enganam mais... Última Hora, [s.l.], ano V, n. B1140, Rio de Janeiro, p.4, 10 out. 1955.

PLANO inclinado. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano L, n. 17622, p.1, 26 ago. 1950.

POCOCK, John.Greville. Linguagens do ideário político. São Paulo: EDUSP, 2003.

PRÉLIO ordeiro. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LV, n. 19177, p. 6, 30 set. 1955.

RAMOS, Alberto Guerreiro. A crise de poder no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1961.

REGAL, Débora Kfuri. Getúlio Vargas volta ao catete: a estratégia de propaganda varguista nas eleições de 1950. 2007. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

REZNIK, Luís. Democracia e segurança nacional, a polícia política no Pós-Guerra. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Jornalismo, literatura e política: a modernização da imprensa carioca nos anos 1950. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 31, p. 147-160, 2003.

SCHMIDT, Augusto Frederico. Definição. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LV, n. 19176, p. 2, 29 set. 1955a.

SCHMIDT, Augusto Frederico. O requerimento Falcão. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano LV, n. 19172, p. 2, 24 set. 1955b.

SINAIS de incompreensão no campo da política nacionalista. Última Hora, [s.l.], ano V, n. 1292, Rio de Janeiro, p. 4, 06 set. 1955.

SKINNER, Quentin. The rise of, challenge to, and prospects for a Collingwoodian approach to the history of political thought. In: CASTIGLIONE, Dario.; HAMPSHIRE-MONK, Iain. The history of political thought in national context. Cambridge: Cambridge University Press, 2001, p. 175-188.

SKINNER, Quentin. Meaning and understanding in the history of ideas. In: VISIONS OF POLITICS. United Kingdom: Cambridge University Press, 2002. v. 1.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Cia das Letras, 2006

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

UM MÊS. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ano L, n. 17629, p. 1, 03 set. 1950.

VIANNA, Luiz Werneck. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2004.

WEBER, Hilde. Carro-chefe. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, ano XII, p. 4, 26 ago. 1960.

WEFFORT, Francisco. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Reznik, L., Miranda, M. Ângelo B., & Mattos, P. de O. de. (2021). Das massas e dos eleitores: povo, democracia e disputa política 1950-1960. Revista Tempo E Argumento, 13(32), e0209. https://doi.org/10.5965/2175180313322021e0209