Múltiplos olhares sobre história única

Autores

  • Ana Monica Henriques Lopes Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180310252018385

Resumo

O artigo traça um diálogo entre autores que escrevem sobre questões relativas à história da África e à reprodução de uma leitura que reafirma estereótipos. Partimos da afirmação de Chimamanda Adichie sobre a história única para dialogar com diferentes tipos de produção escrita e observar em que medida elas se enquadram nessa perspectiva. Num segundo momento, analisamos a constituição de livros de Elikia M'Bokolo e Alberto da Costa e Silva com objetivo de investigar como autores de origens distintas, mas com grande circulação no Brasil, tratam a história da África. Concluímos demonstrando em que medida os diferentes discursos produzidos contribuem para a formação de uma história e um olhar único a respeito da África.

 

Palavras-chave: História da África. Historiografia. Africanos.

Biografia do Autor

Ana Monica Henriques Lopes, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutora em História pela Universidade Federal de Minas Gerais, professora de História das Áfricas na Universidade Federal de Ouro Preto e no NEABI-UFOP

Referências

ANDRADE, M. P. de. Origens do nacionalismo africano. Lisboa: Dom Quixote, 1997.

ADICHIE,Chimamanda. O perigo de uma única história. Ted - Ideas worth spreading. Tradução e legendas por Erika Rodrigues. (2009) <http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story.html> Acessado em 20.01.2012.

BARBOSA, Muryatan Santana . A África por ela mesma: a perspectiva africana na História Geral da África (UNESCO) / Muryatan Santana Barbosa ; orientadora Marina de Mello e Souza. – São Paulo, 2012.

< http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-09012013-165600/pt-br.php > Acessado em 12/09/2017

BERNAL, M. Black Athena: The Afroasiatic Roots of Classical Civilization (The Fabrication of Ancient Greece 1785-1985). London: Free Association Books, 1987.

BRAUDEL, F. Civilização material, economia, e capitalismo – Séculos XV ao XVIII. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

BLYDEN, E. W. Hope for Africa: discourse. Liberia's offering: Being addresses, sermons, etc. New York: J. A. Gray, 1862.

BRAND, R. H. The Union os South Africa. Oxford: At the Claredon Pres, 1909.

COOMBES, Annie E. History after Apartheid. Visual Culture and public memory in a democratic South Africa. Durham: Duke university press, 2003.

COUTO, Mia. “O meu nome é África, in Continente Multicultural”, Companhia Editora de Pernambuco, Edição No 34 - Outubro de 2003. <http://www.casadasafricas.org.br/tlautor/couto-mia/ > Acessado em 20.02.2012. .

DIOP, C. A. Precolonial black Africa. A comparative study of the political and social systems os Europe and black Africa, from antiquity to the formation of modern states. Connecticut: Lawrwnce Hill & Company,, 1987

EVANS,. Maurice S. E. Black and white in the southern state. a study of the race problem in the United States from a South African point of view. London, Longmans, Green and Co, 1915.

FARIAS, P. F. De Moraes. Afrocentrismo: entre uma contranarrativa histórica universalista e o realismo cultural. Afro-Ásia. Salvador, n.29/30, p. 317-343, 2003.

GILROY, P. O atlântico negro.SP: Ed.34; Rio de janeiro: Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

HARTOG, Fançois. O espelho de Heródoto. Ensaio sobre a representação do outro. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

KI-ZERBO, Joseph (ed). História geral da África, I: Metodologia e pré­ história da África. 2.ed. rev. Brasília : UNESCO, 2010.

JAMES, G.G.M. Stolen Legacy. Greek Philosophy is Stolen Egyptian Philosophy. The Journal of Pan African Studies. 2009 (eBook) < http://www.jpanafrican.com/ebooks/eBook%20Stolen%20Legacy.pdf> Acessado em: 01.03.2013.

LOPES, A. M. ARNAUT, L. História da África: uma introdução. Belo Horizonte: Crisálida, 2010.

LOPES, A. M. Neocolonialismo em África. Sankofa. Revista de história da África e de estudos da diáspora africana. N.08, 2011. <https://sites.google.com/site/revistasankofa/sankofa8/neocolonialismo-em-africa > Acessado em: 02.09.2017.

LOPES, Carlos. A Pirâmide Invertida - historiografia africana feita por africanos. Actas do Colóquio Construção e ensino da história da África. Lisboa: Linopazes, 1995.

________. Os limites históricos de um fronteira territorial: Guiné “portuguesa” ou Guiné-Bissau. Lusotopie. Paris: http://www.lusotopie.sciencespobordeaux.fr/somma94.html. Acessado em 20.01.2015.

MBEMBE, Achile. As formas africanas de auto-inscrição. Estudos Afro-Asiáticos. Ano 23, n.1, 2001, pp. 171-209. < http://www.scielo.br/pdf/eaa/v23n1/a07v23n1.pdf > Acessado em: 11.09. 2017.

________. Critique of Black reason. Johannesburg: Wits Universty Press, 2017

MILLER, Joseph C. "Presidential Address: History and Africa/Africa and History," The American Historical Review (v. 104, no. 1, February 1999), p. 1-32.) < http://www.ecu.edu/african/sersas/jmahapa.htm > Acessado em 20.02.2013.

OLIVER, R. A Experiência Africana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

M'BOKOLO, África negra: história e civilizações. Tomo I (até o século XVIII). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa das Áfricas, 2009.

________. África negra: história e civilizações. Tomo II (Do século XIX aos nossos dias). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa das Áfricas, 2011.

NKRUMAH, K. Neocolonialismo: ultimo estágio do imperialismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

PEREIRA, A. M. África para abandonar estereótipos e distorções. Belo Horizonte: Nandyala, 2010.

PHIPPS, W. E. Phipps Amazing Grece in John Newton: slave ship captein, hymn writer, and abolitionist. Grorgia: Mercer University Press, 2001.

SAGE, H.W. Briton and boer. Both sides of South African question. New York and London: Harper & brothers, 1900.New York and London, Harper & brothers

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Tomás RosaBueno. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SILVA, Alberto da Costa. A enxada e a lança. A África antes dos portugueses. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

________.A manilha e o libambo: a África e a escravidão de 1500 a 1700. Rio de Janeiro: Nova Fronteira – Fundação Biblioteca Nacional, 2002.

SOUTH AFRICA. Act 1909 de Union South Africa.

________. Convention for the Settlement of the Transvaal Territory, 1881.

THOMPSON, E. P. Senhores e Caçadores: a origem da lei negra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

________.A História Vista de Baixo. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. , SãoPaulo: UNICAMP, 2001. p.185-201

THEAL, G. M. Boers and Bantu. History of the wanderings and wars of the emigrant farmers from their leaving the Cape Colony to the overthrow of Digan.

VILHENA, Maria da Conceição. Gungunhana no seu reino. Lisboa: Colibri, 1996.

WAMBA-DIA-WAMBA, E. "L'autodétermination des peuples et le statut de l'histoire." Politique africaine. Paris, n.46, Jun. 1992. Disponível em: <http://www.politique-africaine.com/numeros/046_SOM.HTM> Acesso: 20 set 2011.

Downloads

Publicado

2018-11-24

Como Citar

LOPES, A. M. H. Múltiplos olhares sobre história única. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 10, n. 25, p. 385 - 409, 2018. DOI: 10.5965/2175180310252018385. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180310252018385. Acesso em: 3 ago. 2021.