Tempos de pós-democracia: ausência do povo

Autores

  • Céli Regina Jardim Pinto UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180309212017472

Resumo

Este ensaio tratará da crise política que, em termos muito gerais, se caracteriza: 1. pelo esgotamento de modelos de democracia garantidores dos direitos sociais, com o fim da social democracia europeia, o fracasso do ensaio de Obama nos Estados Unidos e a crise dos governos de inspiração populista na América Latina; 2. pela fragilidade das instituições políticas, como garantidoras do funcionamento do pacto democrático; 3. pela crise no sistema político partidário, quando os partidos perdem seu espaço de enunciadores de discursos políticos capazes de interpelarem a sociedade; 4. pela descrença das populações em geral, principalmente dos jovens, na política institucional; 5. pelo aparecimento de grandes manifestações de rua, desde 2011, no mundo em geral, e de 2013, no Brasil; 6. por uma generalizada associação entre política e corrupção.

Downloads

Publicado

2017-09-26

Como Citar

PINTO, C. R. J. Tempos de pós-democracia: ausência do povo. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 21, p. 472 - 481, 2017. DOI: 10.5965/2175180309212017472. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180309212017472. Acesso em: 29 jul. 2021.