Batucadas, enredos e carnavalização. Os passos da Escola de Samba Nenê da Vila Matilde (1954-1967)

Autores

  • Zelia Lopes Silva Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180308182016351

Resumo

Neste texto, são discutidos aspectos da trajetória da Escola de Samba Nenê da Vila Matilde, de 1954 a 1967, centrando-se nos temas escolhidos para suas performances carnavalescas, com a intenção de detectar as possíveis pulsões críticas presentes nessas escolhas. Nesse sentido, a pesquisa argui se os motes de seus desfiles eram centrados apenas nas vivências do grupo ou se também dialogavam com os demais segmentos sociais. Traçar o seu perfil, nesse período de criação e consolidação das agremiações carnavalescas da comunidade negra, implica situá-la no grupo maior, de igual natureza, cujo percurso tem início em 1937, com o surgimento da “Lavapés”, considerada a primeira escola de samba paulistana. Embora a “Nenê” tenha sido criada em 1949, o marco dessa reflexão tem início em 1954, por suas passeatas expressarem um padrão temático em suas exibições; e estende-se até 1967, ano que antecede a institucionalização pelo poder público dos desfiles carnavalescos na capital paulista, a partir de quando passou a haver investimento de recursos públicos em sua montagem e nas escolas de samba. A pesquisa apoiou-se na imprensa diária, nos memorialistas (autobiografia, fotos e depoimentos dessas lideranças carnavalescas) e na bibliografia pertinente, buscando detectar os traços dessa Escola antes de sua institucionalização.

Palavras-chave: Brasil; Escolas de Samba paulistanas; Carnavais Negros; Samba-Enredo; Nenê da Vila Matilde.

 

Palavras-chave: Carnaval; Escolas de samba – São Paulo; Negros; Nenê da Vila Matilde (escola de samba); Samba.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zelia Lopes Silva, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho

Livre Docente em História do Brasil pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo.

Referências

ALENCAR, Edigard de. O Carnaval carioca através da música. 5. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves; Brasília: INL, 1985.

AMARAL, Sebastião Eduardo. Depoimento. São Paulo: Museu da Imagem e do Som-MIS, 1981. Entrevista concedida ao Projeto Carnaval Paulistano do MIS/SP, em 02 outubro de 1981, (Fita 112.31-32).

AUGRAS, Monique. O Brasil do Samba-Enredo. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998.

ALBERTI, Verena. Fontes Orais: Histórias dentro da História. In: Pinsky, Carla Bassanezi. Fontes orais. São Paulo: Contexto, 2005. p. 155-202.

AZEVEDO, Célia Maria Marinho de. Onda negra, medo branco. O negro no imaginário das elites: século XIX. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

ANDREWS, George Reid. Negros e brancos em São Paulo (1888-1988). Bauru/SP: EDUSC, 1998.

BARONETTI, Bruno Sanches. Da oficialização ao sambódromo: um estudo sobre as escolas de samba de São Paulo (1968-1996). 2013, 397f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, São Paulo, 2013.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na idade média e no renascimento. São Paulo: HUCITEC/UnB, 1987.

BEZERRA, Danilo Alves. A trajetória da internacionalização dos carnavais do Rio de Janeiro: as escolas de samba, os bailes e as pândegas das ruas (1946-1963). 2016, 287f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras, São Paulo, 2016.

BRITTO, Ieda Marques. Samba na cidade de São Paulo (1900-1930): um exercício de resistência cultural. São Paulo: FFLCH/USP, 1986.

CORREIO PAULISTANO, São Paulo, 1953 a 1957.

DOZENA, Alessandro. As territorialidades do samba na cidade de São Paulo. 2009, Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, São Paulo, 2009.

FOLHA DA MANHÃ, São Paulo, 1950 a 1959.

GOMES, Flávio dos Santos. De olho em Zumbi dos Palmares. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2011.<https://pt.ikipedia.org/wiki/Nen%C3%AA_de_Vila_Matilde>. Acesso em: 19 set. 2015.

LOPES, Maria Aparecida de Oliveira. História e memória do negro em São Paulo: efemérides, símbolos e identidade (1945-1978). 2007, Tese (Doutorado em História) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras Assis, 2007.

LUCA, Tânia Regina de. Fontes impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanesi; LUCA, Tânia Regina de (Orgs.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2005. p. 111-153.

MADRE, Diolinda. Depoimento. Entrevistadores: Silvio Ferreira Faro e Olga Rodrigues de Moraes von Simson. São Paulo: Museu da Imagem e do Som-MIS, 1982. Entrevista concedida ao Projeto Carnaval Paulistano do MIS/SP. (Fita 112.25).

MORAES, Wilson R. Escolas de Samba de São Paulo. São Paulo: IMESP, 1978.

NAZARETH, Zezinho. Depoimento. Entrevistadora – Olga Rodrigues de Moraes von Simson. São Paulo: Museu da Imagem e do Som/MIS/SP- [1980]. Projeto Carnaval Paulistano, (Fita 112.4-5).

O ESTADO DE S. PAULO. São Paulo – 1950 a 1954; 1958.

PELOGGIO, Marcelo. José de Alencar: um historiador à sua maneira. ALEA: Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 81-95, jan.-jun., 2004.

PROPP, Vladimir. Comicidade e riso. São Paulo: Ática, 1992.

REIS, João José; GOMES, Flávio dos Santos. Liberdade por um fio. História dos quilombos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SILVA, Zélia Lopes da. Os carnavais de rua e dos clubes na cidade de São Paulo. Metamorfoses de uma festa (1923- 1938). São Paulo: Editora UNESP; Londrina: EDUEL, 2008.

SILVA, Zélia Lopes da. A memória dos carnavais dos afro-paulistanos na cidade de São Paulo nas décadas de 20 e 30 do século XX. Diálogos [ online], Maringá, v. 16, Supl. Espec., p.37-68, dez. 2012. Disponivel em: http://www.uem.br/dialogos/index.php?journal=ojs&page=article&op=view&path%5B%5D=709

SILVA, Alberto Alves, BRAIA, Ana. Memórias do Seu Nenê da Vila Matilde. São Paulo: Lemos Editorial, 2000.

SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes von. Carnaval em branco e negro. São Paulo: EDUSP, 2007.

SCHWARTZ, Stuart. Roceiros e rebeldes. Bauru: Edusc, 2001.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

SILVA, Z. L. Batucadas, enredos e carnavalização. Os passos da Escola de Samba Nenê da Vila Matilde (1954-1967). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 8, n. 18, p. 351 - 384, 2016. DOI: 10.5965/2175180308182016351. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180308182016351. Acesso em: 28 set. 2022.