O imaginário pan-americanista e O Cruzeiro Internacional (1957-1965)

Autores

  • Marlise Regina Meyrer Universidade de Passo Fundo - UPF

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180308172016151

Resumo

O artigo tem como objetivo identificar as principais ideias que fundamentaram o lançamento da revista O Cruzeiro Internacional (1957-1965), periódico brasileiro publicado em língua espanhola e distribuída em toda a América Latina, Espanha e parte dos Estados Unidos. Busca-se compreender de que forma essas ideias permearam a difusão de um imaginário pan-americano específico, relativo a determinados grupos e/ou governos e que orientou, através de textos e imagens fotográficas, um conjunto de representações sociais sobre a América Latina. Estas, em linhas gerais, foram norteadas pela defesa de uma unidade latino-americana sob a hegemonia, econômica, política e cultural do Brasil, em âmbito regional e dos EUA, em escala mundial.

 

Palavras-chave: Fotojornalismo – América Latina; O Cruzeiro Internacional; Periódicos - Brasil.

Biografia do Autor

Marlise Regina Meyrer, Universidade de Passo Fundo - UPF

Marlise Regina Meyrer

Dra. em História pela PUCRS

Professora do Proggrama de Pós-graduação da Universidade de Passo Fundo - RS

Area de atuação: História e Imagem, Imigração alemã e Gênero.

Referências

Referências:

AYERBE, Luis Fernando. Estado Unidos e América Latina: A construção da hegemonia. São Paulo, UNESP, 2002.

AZEVEDO, Cecília. Relações internacionais no século XX: percursos e debates acadêmicos. In.: AZEVEDO, Cecília, RAMINELLI, Ronald. História das Américas: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. p.275-304.

BAITZ, Rafael. Um continente em foco: a imagem fotográfica da América Latina nas revistas semanais brasileiras (1954-1964). São Paulo, Dissertação de Mestrado, apresentada ao Dept. de História da FFLCH-USP, 1998.

BANDEIRA, Muniz. Presença dos Estados Unidos no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1973.

BETHELL, Leslie. História da América Latina. Barcelona: Crítica, 1997. v. 11-13.

BIAGI, Orivaldo Leme. "O imaginário da guerra fria". In,: Revista de História Regional. Ponta Grossa/PR, Editora da UEPG, v.6, n1, p.61-111, 2001.

_______. O imaginário e as guerras da imprensa: Estudo das coberturas realizadas pela imprensa brasileira da Guerra da Coréia (1950-1953) e Guerra do Vietnã na sua chamada “fase americana” (1964-1973). Tese defendida na UNICAMP, 2001.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. 10 ed. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2007.

BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2004

CARNEIRO, Glauco. Brasil, Primeiro. História dos Diários Associados. Brasília: Fundação Assis Chateaubriand, 1999.

CARVALHO, Maklouf. Cobras Criadas. São Paulo: SENAC, 2001

CHARTIER, Roger. O Mundo Como Representação. In.: CHARTIER, Roger. À Beira da Falésia: A história entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Editora da Universidade - UFRGS, 2002.

CHOMSKY, Noam. O que Tio Sam realmente quer. Brasília: UNB, 1996.

COSTA, Helouise. Surpresas da objetiva: novos modos de ver nas revistas ilustradas modernas. In.: SAMAIN, Etienne. Como pensam as imagens. Campinas, So, Unicamp, 2012, p. 153-173.

FABRIS, Annateresa. Uma sensação estranha que faz pensar. In.: SAMAIN, Etienne. Como pensam as imagens. Campinas, So, Unicamp, 2012, p.175-189.

FERES, Jr. João. A história do conceito de Latin América nos Estados Unidos. Bauru: EDUSC, 2005.

FERREIRA, Jorge Carlos Felz. Narrar a Guerra: produção de sentido no Fotojornalismo. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense. Niterói, RJ, 2013.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

FURTADO, Celso. A Hegemonia dos Estados Unidos e o subdesenvolvimento da América Latina. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

GRADIN, Greg. "Your Americanism and Mine: Americanism and Anti-americanism in the Americas". In.: The American Historical Rewiew, 111, out, 2006, 1042-1066.

HIRST, Mónica (comp.). Continuidad y cambio en las relaciones América. Latina/Estados Unidos, Buenos Aires: Grupo Editor Latinoamericano, 1987.

HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos. O Breve Século XX – 1914-1991. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

HUNT, Michael. Ideology and US Foreign Policy. New Haven: Yale University Press, 1987.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Representações Sociais e Esfera Pública: a construção simbólica dos espaços públicos no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

JUNQUEIRA, Mary Anne. Ao sul do Rio Grande: análise de Seleções do Reader´s Digest, Porto Alegre: editora da Universidade São Francisco, 2001.

LEITE, Miriam Moreira. Retratos de família, São Paulo, Edusp, 1993.

MCPHERSON, Alan L. Yankee no!: anti-americanism in US - latin American relations. Cambridge: Harvard University Press, 2003.

MAUAD, Ana Maria. A América é aqui: um estudo sobre a influência cultural norte-americana no cotidiano brasileiro (1930-1960). In.: TORRES, Sônia (org.), Raízes e rumos: perspectivas interdisciplinares em estudos americanos. Rio de janeiro: 7 Letras, 2001.p.134-146.

MAUAD, Ana Maria. Através da Imagem: Fotografia e História Interfaces. Tempo, Rio de Janeiro, vol. 1, n ° 2, 1996,

MEYRER, Marlise Regina. Revista O Cruzeiro: um projeto civilizador através das fotorreportagens (1955-1957). História Unisinos 14(2):196-213, São Leopoldo, Maio/Agosto, 2010

MORAES, Roque. Análise de Conteúdo. In: PUCRS, Revista Educação, Porto Alegre, ano XXII, n. 37, março 1999, p.7-32.

MOURA, Gerson. Tio Sam chega ao Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1984.

¬¬______. Avanços e Recuos: A política Exterior de JK. In: GOMES, Ângela de Castro.(org.) O Brasil de JK. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

NETTO, Accioly. Império de Papel: os bastidores de O Cruzeiro. Porto Alegre: Sulina, 1998.

NYE, Jr. Joseph S. Bound to Lead: The Changing Nature of American Power. New York, Basic Book, 1990.

______ . O paradoxo do poder americano: por que a única superpotência do mundo não pode prosseguir isolada. São Paulo: UNESP, 2002.

PEREIRA, Henrique Alonso de A. Pan-americanismo e anticomunismo: A operação Pan-americana no Brasil e as origens da aliança para o progresso nos Estados Unidos. In.: Anais do XXVI Simpósio Nacional de História - ANPUH - São Paulo, jul, 2011.

RAMOS, Leonardo e ZAHRAN, Geraldo. Da Hegemonia ao poder brando: implicações de uma mudança conceitual. Cena Internacional, ano 8,n 1, jun 2006. p.134-157.

SAUDERS, Frances Stonor. Quem pagou a conta? A CIA na guerra fria da cultura. Rio de janeiro, Record, 2008.

SCHOULTZ, Lars. Estados Unidos: Poder e submissão. Bauru: EDUSC, 2000.

SILVA, Graciela Fabrício da. "O que fazer com castro/": Time, Life e a Revolução Cubana (1959 -1962). Dissertação de Mestrado. Nietrói: Universidade Federal Fluminense, 2012.

SKIDMORE, Thomas. Os Estados Unidos e a América latina: um permanente mal-entendido? In.: Estudos Históricos, vol.13, n.24 (1999).p.447-463.

SMITH, Peter. Talons of the Eagle. dynamics of US-Latin American relations. New York: Oxford University Press, 2000.

SOUZA, Jorge Pedro. Uma história crítica do fotojornalismo ocidental. Chapecó: Grifos; Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2000.

TOTA, Pedro. O imperialismo sedutor: a americanização do Brasil na época da segunda Guerra. São paulo: Cia das letras, 2000.

VALENTE, Leonardo e SANTORO, Maurício. A diplomacia midiática do Governo Hugo Chavez. In.: Revista Espaço Acadêmico. n. 60 - maio, 2006. p.

VALENTE, Leonardo. Política externa na era da informação: o novo jogo de poder, as novas diplomacias, e a mídia como instrumento de Estado nas relações internacionais. Rio de janeiro, REVAN, 2007.

Downloads

Publicado

2016-04-30

Como Citar

MEYRER, M. R. O imaginário pan-americanista e O Cruzeiro Internacional (1957-1965). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 8, n. 17, p. 154 - 179, 2016. DOI: 10.5965/2175180308172016151. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180308172016154. Acesso em: 29 jul. 2021.