Sentidos de "digital" em disputa no currículo de história: que implicações para o ensino desta disciplina?

Autores

  • Marcella Albaine Farias da Costa Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Carmen Teresa Gabriel Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180306122014165

Resumo

Este texto admite como base inicial de reflexão as muitas articulações que já se fizeram no campo educacional em torno dos significantes ‘ensino’ e ‘tecnologia’, em geral, fixando sentidos ligados à ideia de ‘inovação’, ‘afinamento com os novos tempos’ e/ou ‘facilitador da aprendizagem’. No caso da disciplina História, fala-se recorrentemente que a utilização das chamadas tecnologias da informação e da comunicação (TICs) pode gerar novas práticas, indo de encontro ao tão combatido ensino ‘tradicional’, ligado à ‘lógica da memorização’. Sem refutar ou corroborar tais afirmativas, e amparando-se nas contribuições das teorizações do discurso formuladas por Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, a análise procura mostrar que fixar e disputar ‘sentidos de digital’ no currículo de História é uma ação política, que mobiliza/desloca a fronteira da própria definição do que é e do que não é a ciência/conhecimento histórico na contemporaneidade, provocando alterações, portanto, tanto na cultura histórica, quanto na cultura escolar. Tendo como empiria o Edital do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2015, entendido como texto curricular, o estudo evidencia e problematiza a forma como as disputas em torno da significação e fixação de ‘sentidos de digital’ têm aparecido na área de História, produzindo deslocamentos em meio às práticas articulatórias que fixam sentido para a interface ‘ensino’-‘tecnologia’.

Palavras-chave: História – estudo e ensino; Currículo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcella Albaine Farias da Costa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Graduada em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Cursando especialização em Tecnologias da Informação aplicadas à Educação na Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ.

Carmen Teresa Gabriel, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Referências

ALMEIDA, Anita Correia Lima de; GRINBERG, Keila. As WebQuests e o ensino de História. In: GONTIJO, Rebeca; MAGALHÃES, Marcelo de Souza, ROCHA, Helenice Aparecida Bastos. A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009, p. 201-212.

ALMEIDA, Fábio Chang de. O historiador e as fontes digitais: uma visão acerca da internet como fonte primária para pesquisas históricas. Aedos, v. 3, n. 8,. p. 9-30, 2011.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Integração de currículo e tecnologias: a emergência de web currículo. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO (ENDIPE), XV, 2010, Belo Horizonte. Anais ... Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Maria Elizabeth de Almeida fala sobre tecnologia na sala de aula. Revista Nova Escola, São Paulo, jun./jul. 2010. Disponível em: <http://revistaescola.abril.com.br/planejamento-e-avaliacao/avaliacao/entrevista-pesquisadora-puc-sp-tecnologia-sala-aula-568012.shtml?page=2>. Acesso em: 7 mar. 2014.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; SILVA, Maria da Graça Moreira da. Currículo, tecnologia e cultura digital: espaços e tempos de web currículo. Revista e-curriculum, São Paulo, v. 7, n. 1, abr. p. 1-19, 2011. Disponível em: <http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/5676>. Acesso em: 7 mar. 2014.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de ;VALENTE, José Armando. Web Currículo: integração de mídias nas escolas com base na investigação de fatos científicos para o fazer científico. In: SANTOS, Edméa Oliveira dos. Currículos: teorias e práticas. Rio de Janeiro: LTC, 2012. p. 121-136,

ARRUDA, Eucidio Pimenta. Museu virtual, prática docente e ensino de história: apropriações dos professores e potencialidades de elaboração de um museu virtual orientado ao visitante. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PESQUISADORES DO ENSINO DE HISTÓRIA, 9, 2011, Florianópolis. Anais..., Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2011. p. 1-11.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático PNLD 2015. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Guia de livros didáticos: PNLD 2012: História. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2011.

BURITY, Joanildo A. Discurso, política e sujeito na teoria da hegemonia de Ernesto Laclau. In: MENDONÇA, D.; RODRIGUES, L. P. (Orgs.). Pós-estruturalismo e teoria do discurso: em torno de Ernesto Laclau. Porto Alegre: Edipucrs, 2008. p. 35-51.

COSTA, Marcella Albaine Farias da; RALEJO, Adriana Soares. Pensando a interface entre os livros didáticos de História e as demandas tecnológicas: negociações possíveis. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL AS REDES EDUCATIVAS E AS TECNOLOGIAS: TRANSFORMAÇÕES E SUBVERSÕES NA ATUALIDADE, VII, 2013, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2013.

COSTA, Warley da; GABRIEL, Carmen Teresa. Currículo de história, políticas da diferença e hegemonia - diálogos possíveis. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n.1, jan./abr., p. 127-146, 2011.

CYSNEIROS, Paulo Gileno. Novas tecnologias na sala de aula: melhoria do ensino ou inovação conservadora? Informática Educativa, Los Andes, v. 12, n. 1, p. 11-24, 1999, Disponível em:< http://www.colombiaprende.edu.co/html/mediateca/1607/articles-106213_archivo.pdf>. Acesso em: 7 mar. 2014.

FERREIRA, Carlos Augusto Lima; MARQUES, Edicarla dos Santos. Espaço e tempo como dimensões do conhecimento e objeto de ensino-aprendizagem em História. Revista História Hoje, v. 1, n. 2, p. 227-246, 2012.

FERREIRA, Márcia Serra; GABRIEL, Carmen Teresa. Disciplina escolar e conhecimento escolar: conceitos sob rasura no debate curricular contemporâneo. In: ALVES, Nilda; LIBÂNEO, José Carlos. Temas de pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 227-241.

FERREIRA, Márcia Serra; GABRIEL, Carmen Teresa; MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da Costa. Sentidos de currículo e ‘ensino de’ biologia e história: deslocando fronteiras. trabalho encomendado GT Currículo. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, XXX, LOCAL, 2012. Título da obra. Local: Editor, 2012.

FORQUIN, Jean-Claude. Saberes escolares, imperativos didáticos e dinâmicas sociais. Teoria & Educação, n. 5, p. 28-49, 1992.

GABRIEL, Carmen Teresa. O “outro” como elemento incontornável na produção do conhecimento histórico. In: MONTEIRO, Ana Maria; PEREIRA, Amilcar Araujo. Ensino de história e culturas afro-brasileiras e indígenas. Rio de Janeiro: Pallas, 2013. p. 287-311.

GABRIEL, Carmen Teresa. Teoria da história, didática da história e narrativa: diálogos com Paul Ricoeur. Revista Brasileira de História. São Paulo, n. 64, v. 32, p. 187-210, 2012.

GABRIEL, Carmen Teresa.; LEITE, Miriam Soares; VENERA, Raquel Alvarenga Sena. Abordagens discursivas de juventude no tempo presente: questões metodológicas nas análises de textos curriculares. 2012.. Projeto (Pesquisa) - MCTI/CNPq/MEC/CAPES, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Universidade da Região de Joinville, Rio de Janeiro, Joinville.

GABRIEL, Carmen Teresa; MORAES, Luciene Maciel Stumbo. História das disciplinas e “tempo histórico”: quais narrativas em circulação no campo educacional? In: CARVALHO, Fábio Garcez de; FERREIRA, Márcia Serra; XAVIER, Libania. História do currículo e história da educação: interfaces e diálogos. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2013, p. 29-59.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

LACLAU, Ernesto. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonia y estratégia socialista; hacia uma radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2005.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LUCCHESI, Anita. A história sem fio: questões para o historiador da Era Google. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-RJ, XV, 2012, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2012. p. 1-09.

MACEDO, Elizabeth. Currículo como espaço-tempo de fronteira cultural. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, p. 285-296, 2006.

MARCHART, Olivier. El pensamiento político posfundacional: la diferencia política em Nancy, Lefort, Badiou y Laclau. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2009.

MENDONÇA, Daniel de. Como olhar “o político” a partir da teoria do discurso. Revista Brasileira de Ciência Política. Brasília, n. 1, jan./jun. p. 153-169, 2009.

MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da Costa. Professores e livros didáticos: narrativas e leituras no ensino de História. In: MAGALHÃES, Marcelo de Souza; REZNIK, Luis; ROCHA, Helenice (Org.). A história na escola: autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2009. p. 177-199.

PRENSKY, Marc. Nativos digitais, imigrantes digitais. Tradução de Roberta de Moraes Jesus de Souza, 2001. Disponível em: <http://pdfcast.org/pdf/nativos-digitais-imigrantes-digitais-marc-prensky>. Acesso em: 7 mar. 2014.

ROLLAND, Denis. Internet e história do tempo presente: estratégias de memória e mitologias políticas. :Revista Tempo. Rio de Janeiro, n. 16, p. 59-92, 2004.

RÜSEN, Jorn. ¿Qué es la cultura histórica?: reflexiones sobre una nueva manera de abordar la história". [Unpublished Spanish version of the German original text in K. Füssmann, H.T. Grütter and J. Rüsen, eds. (1994). Historische Faszination. Geschichtskultur

heute. Keulen, Weimar and Wenen: Böhlau, 2009. p. 3-26.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora. A formação do professor de história e o cotidiano da sala de aula. In: BITTENCOURT, Circe (Org.). O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2009. p. 54-66.

SEDREZ, Lise Fernanda; CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; GRINBERG, Keila. Debate online historia digital: ensino, pesquisa e divulgação. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=T-aRq1c3QiY>. Acesso em: 5 mar. 2014.

Downloads

Publicado

2014-09-29

Como Citar

COSTA, Marcella Albaine Farias da; GABRIEL, Carmen Teresa. Sentidos de "digital" em disputa no currículo de história: que implicações para o ensino desta disciplina?. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 165–185, 2014. DOI: 10.5965/2175180306122014165. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180306122014165. Acesso em: 17 abr. 2024.