Civismo e cidadania num regime de exceção: as políticas de formação do cidadão na ditadura civil-militar (1964-1985)

Autores

  • Tatyana de Amaral Maia Universidade Severino Sombra

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180305102013182

Resumo

Este artigo é dedicado à ação dos intelectuais reunidos no Conselho Federal de Cultural no Ministério da Educação e Cultura durante a ditadura civil-militar (1964-1985). Busca investigar a construção de políticas culturais e educacionais destinadas à formação do cidadão considerado ideal. Os intelectuais do MEC estavam empenhados na defesa do civismo, corrente de pensamento que atravessou os setores estatais responsáveis pelo direcionamento de políticas culturais e educacionais na ditadura civil-militar. Serão analisados os Cadernos de Estudos Brasileiros, produção resultante do “Curso de Atualização de Estudo dos Problemas Brasileiros”, e duas obras com expressiva participação de intelectuais atuantes no MEC: o Atlas Cultural do Brasil, publicado pela Fundação Nacional do Material Escolar, Fename, em 1972, e O cidadão e o civismo: educação moral e cívica, suas finalidades, organizada pelo CONSELHO FEDERAL DE CULTURA por Adonias Aguiar Filho, e publicada pela Comissão Nacional de Moral e Civismo (CNMC) em 1982.Tais publicações expressam a compreensão dos intelectuais que atuavam no Estado sobre os elementos formadores do civismo e sobre o papel do cidadão num regime de exceção.

Palavras-chave: Intelectuais. Civismo. Ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatyana de Amaral Maia, Universidade Severino Sombra

Possui graduação em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002), mestrado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005) e doutorado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2010). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil República e História Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas:intelectuais, cultura, memória nacional, patrimônio e ditaduras. Foi professora substituta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2010). Em 2010, sua tese de doutorado recebeu o prêmio Itaú Cultural Pesquisa Acadêmica Concluída. Foi contemplada com a bolsa de pesquisa do Programa de Bolsas de Pesquisa BN/Minc 2010/2011, tendo sua pesquisa financiada pela Biblioteca Nacional durante 12 meses. Atualmente, é professora adjunta I  do Mestrado em História da Universidade Severino Sombra. Cursou o Pós-Doutorado, sem bolsa, 2011-2012, no Departamento de História da UFF sob supervisão da prof.ª Denise Rollemberg. É  Jovem Cientista Nosso Estado/FAPERJ 2012-2015.

Downloads

Publicado

2013-12-12

Como Citar

MAIA, T. de A. Civismo e cidadania num regime de exceção: as políticas de formação do cidadão na ditadura civil-militar (1964-1985). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 5, n. 10, p. 182 - 206, 2013. DOI: 10.5965/2175180305102013182. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180305102013182. Acesso em: 5 dez. 2021.