Diplomacia do pé: o Brasil e as competições esportivas sul-americanas de 1919 e 1922

Autores

  • João Manuel Casquinha Malaia Santos Federal University of Rio de Janeiro image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180303022011043

Palavras-chave:

esportes, primeira república, relações internacionais

Resumo

O presente artigo pretende discutir o papel das primeiras competições esportivas internacionais sediadas no Brasil, em 1919 e 1922, nas relações internacionais do país. Através da análise da política externa, das ações diplomáticas e da repercussão desses eventos pela imprensa, dentro e fora do país, pretende-se trazer uma primeira aproximação para o entendimento desses eventos como marcos importantes, tanto para a trajetória do país como sede de competições esportivas internacionais, quanto da própria política externa brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Manuel Casquinha Malaia Santos, Federal University of Rio de Janeiro

Doutor em História Econômica (2010), graduado (1999) e licenciado (2000) em História pela Universidade de São Paulo. Atuação principalmente nos seguintes temas: História Econômica, História do Brasil, História do Brasil Republicano, História e Historiografia dos Esportes. Atualmente desenvolve projeto de Pós-Doutorado junto ao Laboratório de Estudos da História do Esporte e do Lazer, ligado ao Programa de Pós-Graduação em História Comparada do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob coordenação do Prof. Dr. Victor Andrade de Melo.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a propagação do nacionalismo. Lisboa: Edições 70, 2005.

ARÓSTEGUI, Julio. Pesquisa Histórica: teoria e métodos. Bauru/SP: EDUSC, 2006.

BEACOM, Aaron. Sport in International Relations: a case for cross-disciplinary investigation.The Sports Historian. Exter: University of Exeter, v. 20, n. 2 , p. 1-23, 2000.

BRASIL. Ministério da Justiça e dos Negócios Interiores. “Programma para a commemoração do Centenário da Independência”. 4 de fevereiro de 1921, p.2.538. BRASIL. Diário Official , 3 de março de 1921, p. 4.312.

BRASIL. “Relatório do Ministério das Relações Exteriores de 1922 e 1923: III- Credencial do Sr. Charles Evans Hugues na qualidade de Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário”. Anexo A, n. 48. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, p. 55.

BRASIL. “Relatório do Ministério das Relações Exteriores de 1922 e 1923: IV- Resposta à Carta-Credencial do Senhor Charles E. Hugues. Anexo A, n.49. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, p. 56.

BRASIL. “Relatório apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro das Relações Exteriores”. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1924, p. 8.

BRASIL. “Relatório dos anos de 1922 e 1923 apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil: Aviso do Ministério da Marinha, em 21 de Julho de 1922”. Ministério das Relações Exteriores. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1924, vol. 1, p. 204.

BUCHANAN, Yan. “Elwoos S. Brown: Missionary Extraordinary”. Journal of Olympic History, v. 6, n. 3, p. 12-13.

BURNS, E. Bradford. As Relações Internacionais do Brasil durante a Primeira República. In: FAUSTO, Boris (dir.). História Geral da Civilização Brasileira: o Brasil Republicano. Tomo III, vol. 2. Rio de Janeiro-São Paulo: Difel, 1977.

CERVO, Amado Luiz.Relações Internacionais: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Editora Saraiva, 2008.

CERVO, Amado Luiz e BUENO, Clodoaldo. História da Política Exterior do Brasil. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2010.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1998.

Decreto n. 3.955. Diário Official dos Estados Unidos do Brasil, 31 de dezembro de 1919, p. 19.350.

DRUMOND, Maurício. Vargas, Perón e o esporte: propaganda política e a imagem da nação. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: CPDOC/FGV-RJ, v. 17, n. 44, p. 398-421, 2009.

DUBY, George. A História Continua. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed/ Ed. UFRJ, 1993.

ELLIS, Charles Howard. The origin, structure & working of the League of Nations. New Jersey: The Lawbook Exchange, Ltd, 2004 3ª ed., p. 139-140. (1ª edição: Boston: Houghton Mifflin Company, 1929).

FLUMINENSE FOOTBALL CLUB. Relatório dos Trabalhos Sociais concernentes ao anno de 1919. Rio de Janeiro: Papelaria Macedo, 1920.

FRANZINI, Fabio. Corações na ponta da chuteira: capítulos iniciais da história do futebol brasileiro (1919-1938). Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.

FERREIRA Marieta de Moraes. A Reação Republicana e a Crise dos Anos 20. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: CPDOC/FGV-RJ, v. 16, n. 11, 1993.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1982.

HILL, Chistopher. “Prologue” in LEVERMORE and BUDD (eds.).Sport and International Relations: an emerging relationship. London and New. York: Routledge, 2004.

HOBSBAWN, Eric. “Introdução”. In: HOBSBAWN, Eric e RANGER, Terence (orgs.).A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

HOULIHAN, Barrie, Sport and International Politics.Hemel Hempstead: Harvester Wheatsheaf, 1994.

LEVERMORE, Roger and BUDD, Adrian (eds.). Sport and International Relations: an emerging reletionship. New York: Routledge, 2004.

PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda. Footballmania:uma história social do futebol no Rio de Janeiro, 1902-1938. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2000.

Recenseamento do Brasil realizado em 1º de setembro de 1920. Rio de Janeiro: Typographia da Estatística, 1922.

SANTOS, João Manuel Casquinha Malaia. Revolução Vascaína: a profissionalização do futebol e a inserção sócio-econômica de negros e portugueses no Rio de Janeiro(1915 – 1934). Tese de Doutorado defendida no Programa de Pós Graduação em História Econômica – DH/FFLCH, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010.

SOUZA, Maria do Carmo Campello de. O Processo Político-partidário na Primeira República. In: MOTA, Carlos Guilherme. Brasil em Perspectiva. Rio de Janeiro- São Paulo: Difel, 1979, p. 162-226.

VIZENTINI, Paulo Fagundes. Relações Exteriores do Brasil (1930-1964): o nacionalismo, da Era Vargas à Política Externa Independente. Petrópolis: Ed. Vozes, 2009.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

SANTOS, João Manuel Casquinha Malaia. Diplomacia do pé: o Brasil e as competições esportivas sul-americanas de 1919 e 1922. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 43–76, 2011. DOI: 10.5965/2175180303022011043. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180303022011043. Acesso em: 21 abr. 2024.