MEDIÇÃO E GESTÃO DE DESEMPENHO NO SETOR PÚBLICO CASO PRÁTICO APLICADO AO ÓRGÃO CONSELHO TUTELAR

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rayane Farias dos Santos
Marcos Igor da Costa Santos

Resumo

A presente pesquisa teve por objetivo verificar a existência de um sistema de medição do desempenho no órgão Conselho Tutelar e de que forma isto pode ajudar a gerenciar e melhorar a entrega dos serviços à comunidade. Para tanto, foi realizado um estudo de caso com um Conselho Tutelar em uma cidade do estado da Paraíba e foram realizadas entrevistas com os cinco (05) conselheiros que formam o órgão, com duração total de duas horas e trinta minutos, nos dias 6 e 7 de maio de 2021. O resultado do estudo mostrou que o uso de indicadores de desempenho, apesar de existir por meio de diários e pastas, ainda ocorre de forma bastante simples, onde são apenas arquivados e servem mais para fins de prestação de contas a órgãos superiores, do que para um direcionamento estratégico e acompanhamento do desempenho do órgão. No que tange ao envolvimento da população, nota-se ainda um distanciamento e falta de prestação de contas dos serviços. Os aspectos tecnológicos, apesar de suprirem as ações desenvolvidas, precisam de avanços em termos de softwares, que possam facilitar o trabalho dos conselheiros e a criação de bancos de dados informatizado, permitindo mais agilidade aos processos e acompanhamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Santos, R. F. dos, & Santos, M. I. da C. (2022). MEDIÇÃO E GESTÃO DE DESEMPENHO NO SETOR PÚBLICO: CASO PRÁTICO APLICADO AO ÓRGÃO CONSELHO TUTELAR. Revista Brasileira De Contabilidade E Gestão, 11(20), 066-081. https://doi.org/10.5965/2316419011202022066
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rayane Farias dos Santos, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Doutoranda em Ciências Contábeis (2021). Mestre em Ciências Contábeis (2020). Pós-graduação MBA em Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria (2019). Graduação em Ciências Contábeis (2016). Tem experiência nas áreas Contábeis e Administrativa. Curso técnico em Telecomunicações (2013).

Marcos Igor da Costa Santos, Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

Graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ) (2006), Administração e Direito pelo Instituto Educação Superior da Paraíba (IESP). Especialista em Controladoria e Auditoria pelo Centro Universitário de João Pessoa (2007). Mestre pelo Programa Multi-institucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis UnB/UFPB/UFRN. Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC) da UFPB. Docente efetivo na Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Referências

Behn, R. (2003). Why measure performance? Different purposes require different measures. Pub-lic Administration Review, 63(5), 586-606.

Biazzi, M. R. D., Muscat, A. R. N. & Biazzi, J. L. D. (2011). Process improvement model in pub-lic undergraduate education institutions. Gestão & Produção, 18(4), 869-880.

Brasil, Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990 (1990). Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Congresso Nacional.

Brown, K., Waterhouse, J. & Flynn, C. (2003). Change management practices: Is a hybrid model a better alternative for public sector agencies? International Journal of Public Sector Manage-ment, 16(3), 230-241.

Callado, A. A. C., Callado, A. L. C., Almeida, M. A., & de Almeida Holanda, F. M. (2012). Re-lacionando fatores contingenciais com o uso de indicadores de desempenho em empresas do Por-to Digital. Revista de Negócios, 17(3), 20-35.

Digiácomo, M. J. (2008) Apenas o Conselho Tutelar não basta. Cadernos do Ministério Público do Paraná, 1(1), 45-47.

Dutra, A. (2005). Metodologia para avaliar o desempenho organizacional: revisão e proposta de uma abordagem multicritério. Revista Contemporânea em Contabilidade, 1(3), 25-56.

Eliuz, S., Kapucu, N., Ustun, Y., & Demirhan, C. (2017). Predictors of an effective performance measurement system: Evidence from municipal governments in Turkey. International Journal of Public Administration, 40(4), 329-341.

Franco-Santos, M., Kennerley, M., Micheli, P., Martinez, V., Mason, S., Marr, B. & Neely, A. (2007). Towards a definition of a business performance measurement system. International Jour-nal of Operations & Production Management, 27(8), 784-801.

Gao, J I E. 2015. Performance Measurement and Management in the Public Sector: Some Les-sons from Research Evidence. Public Administration and Development 35: 86–96.

Johnston, R., & Clark, G. (2005). Service operations management: improving service delivery (2 ed.). London: Prentice Hall.

Kaplan, R. S.; Norton, D. P. (2001). Strategic Performance Measurement and Management in Nonprofit Organizations. Nonprofit Management & Leadership, 11(3), 353-370.

Lewis, Jenny M. 2015. The Politics and Consequences of Performance Measurement. Policy and Society 34 (1): 1–12.

Lo Storto, C. (2016). The trade-off between cost efficiency and public service quality: A non-parametric frontier analysis of Italian major municipalities. Cities, 51, 52-63.

Meirelles, H. L. (2010). Direito administrativo brasileiro. 36. ed., atual. São Paulo: Malheiros.

Melnyk, S. A., Bititci, U., Platts, K., Tobias, J. & Andersen, B. (2014). Is performance measure-ment and management fit for the future? Management Accounting Research, 25(2), 173-186.

Moullin, M. (2017). Improving and evaluating performance with the Public Sector Score-card. International Journal of Productivity and Performance Management.

Najmi, M & Kehoe, D. F. The role of performance measurement systems in promoting quality development beyond ISO 9000. International Journal of Operations & Production Management, v. 21, n. 1/2, 2001, p. 159-72.

Neely, A. (1999). The performance measurement revolution: why now and what next? Interna-tional Journal of Operations & Production Management, 19(2), 205- 228.

NHS Modernisation Agency (2004), 10 High Impact Changes for Service Improvement and De-livery, NHS Modernisation Agency, Leicester.

Oliveira, J. M., & Izelli, R. C. (2018). Indicadores de desempenho baseados no balanced score-card: um modelo adaptado à administração pública. Refas-Revista Fatec Zona Sul, 4(2), 37-51.

Polizelli, D. V., & do Amaral, V. A. (2008). Conselho tutelar: constituição, características e fun-ções. Revista do Direito Público, 3(3), 127-143.

Rodrigues, E. C. P. V. R., Freitas, G. L.; & Messias, E. P. (2020). Avaliação de desempenho no setor público: o caso da Universidade Federal de Viçosa. Caderno de Administração, 1(14), 14-34.

Soares, C. S., & Rosa, F. S. (2017). Avaliação de desempenho dos custos públicos municipais: análise de um fragmento da literatura para identificar oportunidades de futuras pesquisas. Conta-bilidad y Negocios, 12(24), 84-106.

Valente, S. A. (2014). Indicadores de desempenho como ferramenta de alinhamento estratégico: A experiência do Senac Paraná. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE, 13(4).