O teatro de objetos e a sociedade de consumo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034702252021050

Palavras-chave:

Objetos, sociedade de consumo, mercadoria, teatro de objetos

Resumo

Neste artigo apresentamos uma série de reflexões, escritas a quatro mãos, que abordam a inserção do objeto real nas artes cênicas, como um fenômeno do desenvolvimento da sociedade de consumo e de outros fatores históricos que ocorreram ao longo do século XX. A maior ênfase é dada ao teatro de objetos, movimento que se desenvolveu entre as décadas de 1970 e 1980. Nele, observa-se a transgressão de conceitos tradicionais do teatro de animação, além do mero funcionalismo dos objetos, transformando-os em metáforas da própria condição humana e questionando sua condição de mercadoria na sociedade capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kely Elias de Castro, UFG - Universidade Federal de Goiás

Doutora pela UNESP em Artes Cênicas. Professora de teatro na UFG - Universidade Federal de Goiás, dotada no CEPAE - Centro de Estudos e Pesquisa Aplicada em Educação, departamento de Arte.

Flávia D'Ávila, Instituto Federal de São Paulo

Doutora pela UNESP em Artes Cênicas. Professora de Artes no IFSP de São José dos Campos.

Referências

ARGAN, G. C. Arte Moderna, do Iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BAUDRILLARD, J. O sistema dos objetos. 5ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOLOGNESI, Mário. Suprematismo, Cubo-Futurismo e a Tragédia de Maiakóvski. Revista Itinerários. Araraquara, p. 91-102, 1999.

CARRIGNON, C. Contre contre l'objet. E pur si muove. Charleville Mézières, n. 5, p. 31-32, 2006.

CARRIGNON, C. Le théâtre d’objet: mode d’emploi. L'objet, Le jeu et l'objet: dossier artistique. Agôn, n. 4, 2012.

CARRIGNON, C.; MATTÉOLI, J.-L. Le théâtre d´objet: mode d´emploi. Dijon: Ed.Scèrén, CRDP de Bourgogne, 2006.

CARRIGNON, C.; MATTÉOLI, J.-L. Le théâtre d'objet, a la recherche du théâtre d'objet. Paris: Themaa, 2009.

CHKLOVSKI, V. A arte como procedimento. In: Teoria da Literatura: Formalistas Russos. Porto Alegre: Globo, 1973

EJNÈS, V. Cahier partages: des thèâtres par objets interposés. Mont-Saint-Aignan: Ed. ODIA, 2006.

LUKÁCS, G. História e Consciência de Classe: Estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Trad. Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

MATTÉOLI, J.-L. Contre l'objet. Tout contre. E pur si muove. Charleville Mézières, n. 5, p. 33-34, 2006.

MATTÉOLI, J.-L. L’objet pauvre, mémoire et quotidien sur les scènes contemporaines françaises. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2011.

PEREC, G. As coisas: uma história dos anos sessenta. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SHÖN, R. L'objet en scène. 1995. Disponível em: https://www.theatrenciel.fr/. Acesso em 23/04/2012.

VARGAS, Sandra. O Teatro de Objetos: história, ideias e reflexões. Móin-Móin: revista de estudos sobre Teatro de Formas Animadas. Jaraguá do Sul, SCAR-UDESC, v. 7, 2010.

Downloads

Publicado

2021-12-18

Como Citar

CASTRO, K. E. de; D’ÁVILA, F. O teatro de objetos e a sociedade de consumo. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 2, n. 25, p. 50 - 69, 2021. DOI: 10.5965/2595034702252021050. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/moin/article/view/20966. Acesso em: 19 ago. 2022.