Entre Prometeu e Epimeteu: teoria e prática no ensino e formação do teatro de formas animadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034702212019537

Resumo

Tomando como ponto de partida a relação entre teoria e prática, o texto faz uma reflexão sobre a formação no teatro de formas animadas. Para tanto, considera duas figuras mitológicas: Prometeu e Epimeteu, como representantes da dimensão teórica e da prática, respectivamente. Com base na produção artística realizada no Laboratório Objetos Performáticos de Teatro de Animação, faz-se uma análise da relação de interdependência entre prática e teoria, destacando a ideia de que a formação em teatro de sombras deve envolver não somente o conhecimento técnico, mas também uma abordagem afetiva e espiritual, em suma, uma “técnica de si”.

Biografia do Autor

Gilson Motta, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (Rio de Janeiro)

Possui graduação em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1989), Mestrado em Filosofia (1995) e Doutorado em Filosofia (2000) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Pesquisador de Artes Cênicas nas áreas de Estética Teatral, Teatro Brasileiro, Cenografia, Teatro de Formas Animadas. Professor Associado da UFRJ - Escola de Belas Artes, com atuação nas áreas de Estética Teatral, Dramaturgia e Teatro de Formas Animadas. Coordenador do Laboratório Objetos Performáticos de Teatro de Animação da UFRJ.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

Motta, G. (2019). Entre Prometeu e Epimeteu: teoria e prática no ensino e formação do teatro de formas animadas. Móin-Móin - Revista De Estudos Sobre Teatro De Formas Animadas, 2(21), 537-557. https://doi.org/10.5965/2595034702212019537