Como alguém aprende a ser professor? Um exemplo de sujeição, uma prática de insurreição

Autores

  • juliano espezim soares Faria Instituto de Ensino Superior da Grande Florianópolis

Resumo

Com este texto pretendo provocar o pensamento sobre a formação de professores de matemática, considerando o sujeito professor como produto dos saberes. Sua escrita é motivada pelo estudo feito acerca do trabalho de Sônia Clareto, o qual é iniciado e finalizado pela pergunta: Como alguém aprende a ser professor? Para tanto, recorro a uma experiência vivida por mim ao estudar a cubagem da terra, saber que alguns agricultores utilizam para medir suas terras. Com o auxílio de reflexões filosóficas acerca da neutralidade e da universalidade da matemática propostas por Claudia Duarte, do disciplinamento dos saberes e da insurreição dos saberes sujeitados, discutidos por Michel Foucault, teorizo minha experiência, dando uma das infinitas possibilidades de resposta para a pergunta que intitula o texto. 

Downloads

Publicado

2014-09-25

Edição

Seção

Formação de professores que ensinam Matemática