“Tentando desatar os nós”: os sentidos da escrita do projeto de monografia na formação inicial de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723825572024257

Palavras-chave:

formação de professores, escrita, pedagogia

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar os sentidos atribuídos pelos estudantes de Pedagogia ao processo de escrita do projeto de monografia como parte das atividades obrigatórias para a conclusão do curso. A pesquisa se caracteriza como um estudo de caso, de natureza qualitativa, e a análise dos dados se baseia na perspectiva metodológica dos núcleos de significação (Aguiar; Soares; Machado, 2015; Aguiar; Ozella, 2013). Parte-se de dados coletados por meio de questionários aplicados a estudantes no início e no fim da disciplina de Monografia e da análise de uma atividade avaliativa realizada com esses mesmos estudantes também no final da disciplina. Esses dados foram coletados em dois semestres letivos, 2020.2 e 2021.1, e posteriormente organizados em dois núcleos de significação: 1. “Não me sinto pronto para escrever o projeto […]”; e 2. “[…] as leituras, o estudo e a pesquisa me confrontam, e me fazem sair do lugar...”. Essa organização permitiu traçar o perfil desses estudantes e identificar os muitos sentidos da escrita do projeto da monografia, assim como os desafios, as dificuldades e aprendizados nesse percurso formativo. A escrita do projeto como um processo traz à tona a reflexão sobre a pesquisa e a escrita atreladas à formação e à constituição de saberes docentes. A diversidade dos sentidos e significados atribuídos reflete as singularidades dos caminhos formativos trilhados por esses estudantes ao longo do curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Macedo Correa e Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Docente na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Lider do grupo Grupo de Ações de Ensino, Extensão e Pesquisa Fórum de Ensino da Escrita – GRAFE (CNPq).

Referências

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de; SOARES, Júlio Ribeiro; MACHADO, Virgínia Campos. Núcleos de significação: uma proposta histórico-dialética de apreensão das

significações. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 155, p. 56-75, jan./mar. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/cJgwjVtjwQ4thrMbxB4ZPFm/?format=pdf&lang=pt Acesso em: 27 jun. 2022.

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de; OZELLA, Sergio. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. R. bras. Est. Pedag., Brasília, v. 94, n. 236, p. 299-322, jan./abr. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeped/a/Y7jvCHjksZMXBrNJkqq4zjP/?format=pdf&lang=pt.

Acesso em: 27 jun. 2022.

ANDRÉ, Marli. O que é um estudo de caso qualitativo em educacão? Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p. 95-103, jul./dez. 2013. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-70432013000200009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 jun. 2022.

CASTRO, M. M. C. E.; AMORIM, R. M. A. Sentidos e Significados Atribuídos à Escrita por Estudantes do Curso de Pedagogia após a Finalização do Trabalho de Conclusão de Curso. Revista Portuguesa de Pedagogia, [s.l.] v. 1, p. 51, 2017. Disponível em: https://impactum-journals.uc.pt/rppedagogia/article/view/1647-8614_51-2_3/3914 Acesso em: 12 set. 2022.

CASTRO, Marcelo Macedo Corrêa e. Por que escrever?: uma discussão sobre o ensino da produção textual. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018, 144p.

CASTRO, Marcelo Macedo Corrêa e. Formação de professores para o ensino da escrita: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2020, 250p.

GUEDES-PINTO, Ana Lúcia; KLEIMAN, Angela B. O dizer do outro na constituição identitária de professores em formação. Cadernos de Pesquisa [online], São Paulo, v. 51, e07039, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/fkWpP7YssSDrjRsJW8hmVbt/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 30 abr. 2022.

GUEDES, Adrianne Ogêda; RIBEIRO, Tiago Revelar-se ou ocultar-se? In: GUEDES, Adrianne Ogêda; RIBEIRO, Tiago (org.). Pesquisa, alteridade e experiências: metodologias minúsculas. Rio de Janeiro: Ayvu, 2019. p. 19-46.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

IMBERNÓN, Francisco. Qualidade de ensino e formação do professorado uma mudança necessária. São Paulo: Cortez, 2016.

LEMINSKI, Paulo. Ensaios e anseios crípticos. Campinas: Unicamp, 2012.

LÜDKE, Menga. O professor e sua formação para a pesquisa. EccoS – Revista Científica, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 333-349, jul./dez. 2005. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/download/420/426 Acesso em: 24 jun. 2022.

PÉREZ GÓMEZ, Angel. A função e a formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: SACRISTÁN, Jose Gimeno; PÉREZ GÓMEZ, Angel. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 353-379.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2012.

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro: Faculdade de Educação, 2015. 100 p. [Aprovado em 2007, versão atualizada em 2015].

ROLDÃO, Maria do Céu. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, [s.l.], v.12, n. 34, p. 94-103, jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/XPqzwvYZ7YxTjLVPJD5NWgp/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 20 ago. 2022.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOARES, Magda. Para quem pesquisamos? para quem escrevemos? In: GARCIA, Regina Leite (org.). Para quem pesquisamos para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. São Paulo: Cortez, 2011. p. 71-96.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

Downloads

Publicado

2024-04-03

Como Citar

CERDAS, Luciene; CASTRO, Marcelo Macedo Correa e. “Tentando desatar os nós”: os sentidos da escrita do projeto de monografia na formação inicial de professores . Revista Linhas, Florianópolis, v. 25, n. 57, p. 257–285, 2024. DOI: 10.5965/1984723825572024257. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/23769. Acesso em: 19 abr. 2024.