CONTRACULTURA ESCOLAR NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO DA UFSC (1966-1973) <EM> SCHOOL COUNTERCULTURE IN UFSC`S COLÉGIO DE APLICAÇÃO (1966-1973) </EM>

Autores

  • Ademir Soares Luciano Júnior UDESC
  • Norberto Dallabrida UDESC

Resumo

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina foi criado no começo da década de 1960, à época como Ginásio de Aplicação, seguindo um modelo de instituição que já havia sido planejado e implantado em outras universidades do país com o mesmo objetivo: oferecer aos professores e acadêmicos das licenciaturas um campo de estágio e de experimentação pedagógica . Contudo, desde o momento em que o colégio foi implantado, o perfil social de seus discentes começou a mudar gradativamente, em parte em decorrência do exame de seleção escolar para a entrada na instituição e da orientação escolanovista que estava sendo implantada desde a segunda metade da década de 1960. Os alunos pobres e originários do Abrigo de Menores de Florianópolis, que eram maioria quando a instituição foi implantada, estavam dando lugar a estudantes das camadas médias, que, não raro, eram oriundos dos colégios particulares frequentados pela elite da cidade. O presente artigo dialoga com os conceitos elaborados por teóricos da sociologia da educação, em específico, as considerações sobre capital cultural e capital social do sociólogo Pierre Bourdieu e sobre cultura escolar do historiador Dominique Julia. Nosso objetivo é entender como a cultura escolar do colégio, por meio de atividades extraclasse promovidas pela instituição, foi sendo construída para possibilitar a mudança no perfil dos discentes e no seu respectivo capital cultural em menos de uma década, três delas em especial: o governo comunitário, o código de conduta e os jornais estudantis PALAVRAS-CHAVE: Colégio de Aplicação. Cultura escolar. Capital Cultural.

Downloads

Publicado

2011-06-22

Como Citar

SOARES LUCIANO JÚNIOR, A.; DALLABRIDA, N. CONTRACULTURA ESCOLAR NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO DA UFSC (1966-1973) <EM> SCHOOL COUNTERCULTURE IN UFSC`S COLÉGIO DE APLICAÇÃO (1966-1973) </EM>. Revista Linhas, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 189 - 203, 2011. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/2286. Acesso em: 29 jul. 2021.