Grande Sertão Baixada e as veredas da historiografia da educação local

Autores

  • Amália Cristina Dias da Rocha Bezerra Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Angélica Borges Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Marcos Cesar de Oliveira Pinheiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723822502021029

Palavras-chave:

Escola Regional de Meriti, Baixada Fluminense, história da educação, história local

Resumo

O presente artigo pretende demonstrar como a emergência dos estudos acadêmicos sobre a Escola Regional de Meriti instituiu uma vereda para a escrita da história local da educação da Baixada Fluminense. Apresentamos, por meio de um levantamento bibliográfico, como nas últimas décadas o campo de estudos de história da educação na Baixada se expandiu, havendo uma abertura para outras temáticas, regiões e periodizações e como podemos considerar essas novas veredas no ano de comemorações do centenário de fundação da antiga Escola Regional. Acompanhando a tradição de promover balanços, buscamos afirmar a existência de uma “matéria vertente” para a história da educação do Grande Sertão Baixada, com a intenção de demonstrar a capacidade de inovação epistemológica. A identificação e análise do que foi produzido visa estimular outros desdobramentos analíticos e interpretações no campo, registrar questionamentos, lacunas e indicar aspectos que ainda não foram explorados.

Palavras-chave: Escola Regional de Meriti; Baixada Fluminense; história da educação; história local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, José D’Assunção. As partes de um projeto de pesquisa. In: BARROS, José D’Assunção.O projeto de pesquisa em história:da escolha do tema ao quadro teórico. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 14-21.

BEZERRA, Nielson Rosa. A historiografia tradicional e a invisibilidade da escravidão na Baixada Fluminense. In: NASCIMENTO, Álvaro Pereira do; BEZERRA, Nielson Rosa. (org.). Da Vila de Iguassu à Baixada Fluminense: histórias de um território.1 ed. Curitiba: Editora Prismas, 2019. v. 1. p. 85-103.

BLOCH, Marc. Apologia da história, ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BORGES, Angélica; DIAS, Amália. Capilarização da escola pública na Baixada Fluminense: reflexões em torno de Iguaçu (1870-1933). In: SILVA, Alexandra; LIMEIRA, Aline; LEONARDI, Paula (orgs.). Um mar de escolas: diálogos e pesquisas em história da educação. Curitiba: Editora Appris, 2021. p. 95-110.

CABRAL, Vivian da Silva. Maria Rosa Paris e Augusto Monteiro Paris: experiências de magistério em Iguaçu (1875-1935). 2017. Monografia (Graduação em Pedagogia) –Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, 2017.

CARVALHO, Marta. M. C. O novo, o velho, o perigoso: relendo A Cultura Brasileira.Cadernos de Pesquisa, [São Paulo] n. 71, p. 29-35, nov. 1989.

DIAS, Amália; XAVIER, Libânia Nacif; SOARES, Jeferson. Por uma história da educação fluminense. Revista Contemporânea de Educação, [Rio de Janeiro] v. 14, p. 4-13, 2019.Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/26177. Acesso em: 20 dez. 2020.

DIAS, Amália; SOOMA, José Claudio. Quintais da história da educação fluminense: balanços, gangorras e escorregos. Revista Contemporânea de Educação, [Rio de Janeiro], v. 14, p. 228-247, 2019.

GONDRA, José Gonçalves. Historiografia da educação, seus balanços e saberes. A Ultrapassagem como problema. NEPOMUCEMO, Maria de Araújo. TIBALLI, Elianda Figueiredo Arantes (Orgs.). A Educação e seus sujeitos na História. Belo Horizonte: ARGVMENTVM, 2007.

GUEDES, Jordania Rocha de Q. Cenários do processo de escolarização do Recôncavo da Guanabara: a história de Iguassú. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) –Programa de Pós-Graduação em Educação, UNIRIO, Rio de Janeiro, 2012.

GUEDES, Jordania R. Q. Escolas no Recôncavo da Guanabara: história do processo de escolarização no município de Iguassú (1833-1862). 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) –Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

JARA, Isabela Bolorini. O fazer-se Estado e fazer-se magistério em Iguaçu: funcionarização, agências e experiências (1895-1925). 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) –Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, 2017.

KNAUSS, Paulo. Preâmbulo. In: NASCIMENTO, Álvaro Pereira do; BEZERRA, Nielson Rosa. Da Vila de Iguassu à Baixada Fluminense: histórias de um território.1 ed. Curitiba: Editora Prismas, 2019, v.1, p. 19-33.

MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Baú de memórias, bastidores de histórias: o legado pioneiro de Armanda Alvaro Alberto. 1. ed. Bragança Paulista: Editora da Universidade de São Francisco, 2002. v. 1. 356 p.

MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Armanda Álvaro Alberto. Brasília: INEP: MEC, 2010. (Coleção Educadores Brasileiros).

MIRANDA, Ana Carolina de Farias. A marcha progressiva do ensino: processos de escolarização no município fluminense de Iguassú (1879 –1889). 2020. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

NASCIMENTO, Álvaro Pereira do; BEZERRA, Nielson Rosa. Apresentação: as fronteiras da historiografia da Baixada Fluminense. In: NASCIMENTO, Álvaro Pereira do; BEZERRA, Nielson Rosa (org.). Da Vila de Iguassu à Baixada Fluminense: histórias de um território.1. ed. Curitiba: Editora Prismas, 2019. v.1. p. 07-18.

NUNES, Benedito. A matéria vertente. In: ROSA, João Guimarães. Grande Sertão:veredas. 22. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. p. 459-474.

NUNES, Clarice. Caminhos da historiografia da educação: algumas reflexões. In: MENDONÇA, Ana Waleska Campos Pollo et al. (org.). História da educação: desafios teóricos e empíricos. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2009. p. 41-50.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: veredas. 22. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

SIMÕES, Manoel Ricardo. Ambiente e sociedade na Baixada Fluminense. Mesquita: Editora Entorno, 2011.

TUÃO, Renata Spadetti.Centro de Pesquisa, Memória e História da Educação de Duque de Caxias e da Baixada Fluminense: uma experiência instituinte em educação patrimonial.2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) –Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,2014.

VIDAL, Diana; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. História da educação no Brasil: a constituição histórica do campo (1880/1970). Revista Brasileira de História, São Paulo: ANPUH, v. 23, n. 45, p. 37-70, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/v23n45/16520.pdf. Acesso em: 19 mar. 2021.

XAVIER, Libania; CARVALHO, Fábio Garcez de. Apontamentos sobre a história da educação configurada no II Encontro do Rio de Janeiro (2010). In: BONATO, Nailda; XAVIER, Libania (org.). A história da educação no Rio de Janeiro: identidades locais, memória e patrimônio. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

XAVIER, Libânia Nacif. O manifesto dos pioneiros da educação nova como divisor de águas na história da educação brasileira. In: XAVIER, Maria do Carmo. Manifesto dos Pioneiros da Educação: um legado em debate. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004. p. 21-38.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Como Citar

BEZERRA, A. C. D. da R.; BORGES, A.; PINHEIRO, M. C. de O. Grande Sertão Baixada e as veredas da historiografia da educação local. Revista Linhas, Florianópolis, v. 22, n. 50, p. 29 - 58, 2021. DOI: 10.5965/1984723822502021029. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/20799. Acesso em: 18 maio. 2022.