Entre correspondências e documentos: a Escola Regional de Meriti como modelo para a criação de novas instituições educacionais

Autores

  • Caruanã Guatara Oliveira Frescurato Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Fernando César Ferreira Gouvêa Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723822502021166

Palavras-chave:

Armanda Álvaro Alberto, Baixada Fluminense, Escola Nova, ensino regional, Escola Regional de Meriti, modelo pedagógico exemplar

Resumo

O presente artigo visa examinar a influência da Escola Regional de Meriti na criação de instituições educacionais em diferentes estados brasileiros. Numa perspectiva de mão dupla, entendemos que o projeto pedagógico da instituição serviu como base para as escolas fundadas e, ao mesmo tempo, legitimou o papel desejado por Armanda Álvaro Alberto na construção de um espaço de educação para além dos seus muros e em consonância com os princípios teóricos da Escola Nova. Assim, a Escola Regional de Meriti, cujas práticas pedagógicas estavam imbricadas com os princípios do ensino regional e popular, tornou-se um modelo de organização pedagógica. Fundamental para essa análise foi a leitura dos documentos pessoais de Armanda, especialmente a correspondência que revelou a existência de uma rede de trocas de experiências e de fotos que sustentaram o processo de nascimento de instituições similares. Não se trata apenas da organização de uma memória singular, vista por Armanda Álvaro Alberto, idealizadora desse projeto educacional, haja vista que utilizamos seus documentos pessoais, mas, sim, apresenta relação com a operação historiográfica para a construção da memória social dessa instituição de ensino. Afinal, são cem anos de história. História muitas vezes esquecida pelos livros didáticos e até mesmo pelos acadêmicos e, quando lembrada, fica fadada ao esquecimento em prateleiras longe da população. Por isso, a importância da discussão do papel da Escola Regional de Meriti que sobreviveu a diferentes momentos históricos sem perder a sua relevância para a História da Educação da Baixada Fluminense.

Palavras-chave: Armanda Álvaro Alberto; Baixada Fluminense; Escola Nova; ensino regional; Escola Regional de Meriti; modelo pedagógico exemplar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

A ESCOLA Regional de Merity. O Jornal, Merity, p. 04, 1927.

ABREU, Alzira Alves. Aliança Nacional Libertadora. In: ABREU, Alzira Alves et al. Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós 1930. Rio de Janeiro: Editora FGV/CPDOC, 2001. v. 1. p. 107-109.

ABREU, Alzira Alves. União Feminina do Brasil. In: ABREU, Alzira Alves et al. Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós 1930.Rio de Janeiro: Editora FGV/CPDOC, 2001. v. 5. p. 5.845.

ALBERTO, Armanda Álvaro. A escola regional de Meriti. Rio de Janeiro: INEP-MEC, 1968.

ALBERTO, Armanda Álvaro.Relatório Anual.In:A ESCOLA PROLETÁRIA DE MERITY NO ANO DE 1925. São João de Merity, p. 10-11.

BARROS, J. D’Assunção. O campo da história: especialidades e abordagens. Petrópolis: Vozes, 2004.

CARVALHO, Constantino. Fundação do Ateneu Aprazivelense.A Cidade, Aprazível, p. 2-2, 30 jun. 1940.

CARVALHO, Mário Marques. [Hino da Escola Regional de Merity]. São João de Merity. Relatório A Escola Regional de Merity no ano de 1930. 1930.

CARVALHO, Orlando Magalhães. Problemas fundamentaes do municipio.São Paulo: Companhia Editora Nacional, Coleção Brasiliana, 1933.

CASTELO, Plácido Aderaldo. O ensino rural no Ceará. Fortaleza: Editora Instituto do Ceará, 1951.

COUTINHO, Afrânio. Álvaro Alberto. In: ABREU, Alzira Alves et al.Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós 1930. Rio de Janeiro: Editora FGV/CPDOC, 2001. v. 1.

DALE, Helena. [Correspondência]. Destinatário: Armanda Álvaro Alberto. [S. l.], 1925. 1 carta pessoal.

DIAS, Amália; BEZERRA, Nielson. História da educação na Baixada Fluminense: redes educativas e processos de escolarização. Recôncavo: Revista de História da UNIABEU, Nova Iguaçu, v. 4, n. 6, p. 1-5, 2014.

FRESCURATO, Caruanã Guatara Oliveira. Na tropicália dos excluídos um projeto educacional se consolida: a escola proletária de Merity e o seu modelo de educação (1921-1964). 167 f. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) -Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro, 2019.

FRESCURATO, Caruanã Guatara Oliveira; GOUVÊA, Fernando César Ferreira. Entre histórias e arquivos na Proletária de Merity: trabalhando conceitos com a memória de seus relatórios anuais entre 1921 até 1948.

MÉTIS: história & cultura, Caxias do Sul, v.18, n. 36, p. 15-34, jul./dez. 2019.

FREINET, Célestin. O método natural II:a aprendizagem do desenho. Lisboa: Estampa, 1977.FREINET, Célestin. Para uma escola do povo. Lisboa: Ed. Presença, 1973.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Dossiê: A Era Vargas: dos anos 20 a 1945.Temática: Anos 20, Questão Social, Reformas Educacionais. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/anos20/QuestaoSocial/ReformasEducacionais. Acesso em: 17 de jun. 2021.

GATTI JUNIOR, Décio. A história das instituições educacionais: inovações paradigmáticas e temáticas. In: ARAÚJO, José Carlos Souza; GATTI JUNIOR, Décio (org.). Novos temas em historia da educação brasileira: instituições escolares e educação na imprensa. Campinas: Autores Associados; Uberlândia: EDUFU, 2002. p. 3-24.

JANELAS floridas. Diário Carioca, p. 5, 17 agosto, 1963.

LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. Introdução ao estudo da escola nova. 12. ed. São Paulo: Melhoramentos; Rio de Janeiro: Fundação nacional de material escolar, 1978.

MAIO, Marcos Chor; SANTOS, Ricardo Ventura.Raça como questão: história, ciência e identidades no Brasil. Rio de janeiro: Editora FIOCRUZ, 2010.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Armanda Álvaro Alberto. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Editora Massangana, 2010.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Baú de Memória, bastidores de histórias: o legado pioneiro de Armanda Álvaro Alberto. Bragança Paulista: EDUSF, 2002.

MIGNOT. Ana Chrystina Venâncio. Decifrando o recado do nome: uma escola em busca de sua identidade pedagógica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, v. 1, n. 1, p. 619-638, set./dez. 1993.

MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos,Brasília, v. 65, n. 150, p. 407-425, maio/ago. 1984.

NEVES, Luiz. [Correspondência]. Destinatário: Armanda Alberto. São Paulo,07 de set. 1939. 3 f. 1 carta pessoal.

NÓVOA, António. Para uma análise das instituições escolares.As organizações escolares em análise, Lisboa: Publicações Dom Quixote / Instituto de Inovação Educacional, v. 3, p. 13-43, 1999.

PENNA, Belisário. Saneamento do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Ribeiro dos Santos, 1923.

PRADO, Adonia Antunes. Ruralismo pedagógico noBrasil do Estado Novo. Estudos Sociedade e Agricultura, Seropédica, v. 3, n. 1, p. 5-27, 2013.

RIBEIRO, M. C. R. P. O movimento ruralista em Pernambuco. Revista de Educação, Recife, v. 5, p. 49-58, 1941.

RIBEIRO, Darcy. O livro dos CIEPs. Rio de Janeiro: Bloch Editores, 1986.ROLLEMBERG, Denise; MARTINS FILHO, João Roberto. Esquecimento das memórias: o golpe de 1964 e o regime militar. São Carlos: Ed. UFSCar, 2006.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil.5. ed. Petrópolis: Vozes, 1984.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Como Citar

FRESCURATO, C. G. O.; GOUVÊA, F. C. F. Entre correspondências e documentos: a Escola Regional de Meriti como modelo para a criação de novas instituições educacionais. Revista Linhas, Florianópolis, v. 22, n. 50, p. 166 - 190, 2021. DOI: 10.5965/1984723822502021166. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/20693. Acesso em: 18 maio. 2022.