Escrileituras do arquivo e a invenção de procedimentos didáticos tradutórios

Autores

  • Fabiane Olegário
  • Sandra Mara Corazza

Resumo

Este texto é tecido a partir de um cruzamento entre o Projeto de Pesquisa, Ensino e Extensão Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida com o Projeto de Pesquisa Didática da Tradução, Transcriação do Currículo: escrileituras da diferença, ambos vinculados ao PPGDEU/CNPq/UFRGS. Esses Projetos afirmam a tradução como recriação do Texto de Partida. Nesta perspectiva, o professor é compreendido como tradutor-autor, pois ao traduzir o texto original infere certo grau de transformação, atribuindo-lhe uma nova vida. Concernente a esta ideia, este texto deseja mostrar as implicações referentes à leitura e à escrita do Arquivo-Roteiro gerado durante a execução do Projeto de Pesquisa, Ensino e Extensão Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida, e, sobretudo à necessidade de tradução desse Arquivo-Roteiro. Entende o Arquivo-Roteiro do Projeto Escrileituras não como depositário fechado de documentos, mas, ao contrário, como texto aberto, portanto, profícuo às novas recriações. O procedimento didático tradutório implicado pelas vias da leitura e escrita toma a invenção como processo ativo e necessário à atividade humana. O texto considera que não há criação sem experimentação, assim como não há invenção isenta de processo tradutório de matérias.

Palavras-chave: Arquivo. Didática. Invenção. Escrileituras.

Downloads

Publicado

2018-09-14

Como Citar

OLEGÁRIO, F.; CORAZZA, S. M. Escrileituras do arquivo e a invenção de procedimentos didáticos tradutórios. Revista Linhas, Florianópolis, v. 19, n. 41, p. 242 - 258, 2018. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723819412018242. Acesso em: 29 jul. 2021.