Diferentes olhares para a creche: a avaliação de contexto com o instrumento SPRING em um município da Emilia Romagna

Autores

  • Catarina Moro

Resumo

Com o presente artigo, socializo o acompanhamento de um processo de avaliação formativa de contexto realizado em 2016, em uma creche conveniada, da Federazione Italiana Scuole Materne (FISM), de um pequeno município da Emilia Romagna/Itália, província de Forlì-Cesena. O processo transcorreu no primeiro semestre de 2016, tendo sido constituído por autoavaliação e heteroavaliação. O instrumento utilizado foi o SPRING (Strumento per lo Sviluppo di Processi Riflessive e Indagine valutative nei Nidi da parte dei Gruppi di lavoro educativi). Acompanhei o processo, ao longo da sua efetivação, juntamente ao especialista externo que tinha como incumbência realizar a heteroavaliação. O percurso completo teve início com o estabelecimento do primeiro contato, seguido da efetivação das reuniões, entrevistas e observações, elaboração do relatório final sobre o que foi levantado e analisado, concluindo com a restituição à equipe da creche avaliada. Afora as considerações dos envolvidos habituais em processos deste tipo: equipe educativa e coordenadora pedagógica da instituição, avaliadora externa; trago algumas considerações na condição de observadora especializada. O processo de auto e heteroavaliação se revelou bastante desafiador por requerer e, ao mesmo tempo, possibilitar o confronto de visões distintas, especialmente no que se refere à concepção filosófico-pedagógica da educação institucional de crianças pequenas. É também importante do ponto de vista formativo, em exigir, por parte de todos os envolvidos no processo, diferentes momentos de reflexão sobre o observado e o vivido.

Palavras-chave: Educação de Crianças - Itália. Creches. Avaliação Educacional. Avaliação de Contexto. 

Downloads

Publicado

2018-05-16

Como Citar

MORO, C. Diferentes olhares para a creche: a avaliação de contexto com o instrumento SPRING em um município da Emilia Romagna. Revista Linhas, Florianópolis, v. 19, n. 40, p. 138 - 160, 2018. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723819402018138. Acesso em: 23 jul. 2021.