O devir-criança, a Polaridade mulher-homem e a Cultura da Paz na formação de educadores/as no contexto da diversidade

Autores

  • Jacques Henri Maurice Gauthier Ministere de Leducation Nationale

Resumo

Na prática pedagógica, enfrentamos o desafio de resistir à padronização consumista das crianças e adolescentes no contexto do Capitalismo Mundial Integrado. Isso pede para assumirmos prioritariamente e com lucidez o devir-criança e o devir-mulher, teorizados por Deleuze e Guattari: o primeiro é referido à figura grega de Dionísio, filosoficamente elaborada por Nietzsche; o segundo, aos problemas levantados pela teoria queer, assim como, à questão das polaridades masculina e feminina, diferentemente pensadas em culturas tradicionais. De maneira mais radical, no contexto brasileiro e numa perspectiva descolonizadora, o autor se refere a pesquisas sociopoéticas detalhadas que mostram o que são o devir-negro(a) e o devir-índio(a) de educadores(as). A chave da sua formação é o devir-vacuidade, portal para a interculturalidade crítica e a transculturalidade. Na prática pedagógica, enfrentamos o desafio de resistir à padronização consumista das crianças e adolescentes no contexto do Capitalismo Mundial Integrado. Isso pede para assumirmos prioritariamente e com lucidez o devir-criança e o devir-mulher, teorizados por Deleuze e Guattari: o primeiro é referido à figura grega de Dionísio, filosoficamente elaborada por Nietzsche; o segundo, aos problemas levantados pela teoria queer, assim como, à questão das polaridades masculina e feminina, diferentemente pensadas em culturas tradicionais. De maneira mais radical, no contexto brasileiro e numa perspectiva descolonizadora, o autor se refere a pesquisas sociopoéticas detalhadas que mostram o que são o devir-negro(a) e o devir-índio(a) de educadores(as). A chave da sua formação é o devir-vacuidade, portal para a interculturalidade crítica e a transculturalidade. 

Palavras-chave: Educação Inclusiva. Esquizoanálise. Sociopoética.

Biografia do Autor

Jacques Henri Maurice Gauthier, Ministere de Leducation Nationale

Graduado em Filosofia (1971) com mestrado em Filosofia (1978), mestrado em Lingüística (1982), mestrado em Ciências Políticas (1988) e doutorado em Ciências da Educação (1993). Professor titular - Ministere de Leducation Nationale (França). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Antropologia da Educação e pesquisa inter e transcultural. Criador da Sociopoética, atua principalmente nos seguintes temas: epistemologia e metodologia da pesquisa, interculturalidade, filosofia da pesquisa, análise institucional e esquizo-análise, sociopoética e articulação entre transculturalidade, descolonização e espiritualidade.

Downloads

Publicado

2018-02-20

Como Citar

GAUTHIER, J. H. M. O devir-criança, a Polaridade mulher-homem e a Cultura da Paz na formação de educadores/as no contexto da diversidade. Revista Linhas, Florianópolis, v. 19, n. 39, p. 146 - 166, 2018. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723819392018146. Acesso em: 20 out. 2021.