O flâneur e as vertigens do tempo: uma aprendizagem

Autores

  • Angelica Vier Munhoz Centro Universitario Univates
  • Luciano Bedin da Costa Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

De todas as imagens que fazem parte da vida contemporânea, a ideia de trânsito parece ser uma das principais. Diante de um mundo marcado pela velocidade e interação contínuas, a passagem entre-lugares assume um importante estatuto. Todavia, quando esse ir e vir torna-se, ele, o território, a existência passa a ser vertiginosa. Vertigens do tempo e de espaços, de tempos que se sobrepõem e de espaços pouco capturáveis. O flâneur, essa espécie de anti-herói anunciada por Charles Baudelaire, é reassumido neste texto, sugerindo pistas acerca de como situar-se diante disto que incessantemente foge. Com Henry Miller, escritor americano, o ato de caminhar é problematizado, um transitar não somente por lugares, mas, sobretudo, por tempos e pela multiplicidade de vidas engendradas numa vida. Ainda que circunscrita a uma realidade urbana do século XIX, talvez ainda haja algo a aprender com o ato de flanar.

Palavras-chave: Baudelaire, Charles. 1821-1867. Miller, Henry, D. Espaço e Tempo.

Biografia do Autor

Angelica Vier Munhoz, Centro Universitario Univates

ngélica Vier Munhoz possui graduação em Pedagogia pela PUCRS; especialização em Psicopedagogia Institucional pela UNISC; mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009 - Capes 6), com bolsa sanduiche Capes na Université Paris VIII (Vincennes Saint Denis), Departements de Arts, Philosophie et Esthétique. É professora titular do Centro de Ciências Humanas e Jurídicas e do Programa de Pós-graduação - Mestrado em Ensino de Ciências Exatas e Mestrado em Ensino - Centro Universitário UNIVATES. Atualmente também é Coordenadora do Curso de Pedagogia dessa instituição. Atua na área de educação com ênfase em estudos do currículo, pedagogias e diferenças, pensamento e aprendizagem, Filosofia da diferença. Os temas mais frequentes na produção científica são: currículo, diferenças, aprendizagem, corpo-pensamento, dança

Luciano Bedin da Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional da UFRGS e professor convidado do Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFRGS.

Downloads

Publicado

2017-10-24

Como Citar

MUNHOZ, A. V.; COSTA, L. B. da. O flâneur e as vertigens do tempo: uma aprendizagem. Revista Linhas, Florianópolis, v. 18, n. 38, p. 292 - 303, 2017. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723818382017292. Acesso em: 23 jul. 2021.