Organização do trabalho pedagógico em escolas do campo: limites e possibilidades

Autores

  • Adriana do Carmo de Jesus UFSCAR
  • Maria Cristina dos Santos Bezerra PPGE- UFSCAR

Resumo

À luz de um referencial teórico histórico-dialético, este texto discute questões relacionadas à organização do trabalho pedagógico nas escolas do campo, considerando os principais desafios da atual conjuntura do meio rural brasileiro. Como questão de fundo, traz à tona o debate da especificidade, ou não, da escola do campo. Entendemos que a expropriação do trabalho do homem do campo, bem como a precarização da condição de vida e a miséria ocasionam grande impacto social no meio rural, e contribuem para o esvaziamento do campo. E neste contexto de mudanças na configuração do rural e nas condições objetivas de vida, mudou também o homem, o trabalhador do campo. Neste sentido, o sujeito do campo não pode ser pensado como alguém isolado, excluído completamente de quaisquer resquícios de desenvolvimento. Diante do contexto da reestruturação produtiva e das novas formas de organização do trabalho rural, houve uma ampliação e uma diversificação de atividades, divididas entre agrícolas e não agrícolas, de maneira que os trabalhadores foram obrigados a residir onde quer que sua materialidade minimamente esteja garantida. E no sentido de apreender as formas de organização da vida no campo, e, sobretudo da escola do campo buscamos pinçar alguns elementos para pensarmos a educação na atualidade.

Palavras-chave: Trabalho pedagógico; Escolas rurais; Educação  rural.

Biografia do Autor

Adriana do Carmo de Jesus, UFSCAR

Pedagoga, mestre em Educação pela UFSCAR  e doutoradanda em educação.

Maria Cristina dos Santos Bezerra, PPGE- UFSCAR

Professora Doutora do PPGE-UFSCar.

Downloads

Publicado

2016-02-25

Como Citar

DE JESUS, A. do C.; BEZERRA, M. C. dos S. Organização do trabalho pedagógico em escolas do campo: limites e possibilidades. Revista Linhas, Florianópolis, v. 17, n. 33, p. 238 - 260, 2016. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723817332016238. Acesso em: 17 set. 2021.