Biopolítica de endereçamentos de gênero no currículo do forró eletrônico

Autores

  • Marlécio Maknamara UFRN
  • Marlucy Paraíso UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723816302015180

Resumo

Este artigo parte do pressuposto de que o forró eletrônico consiste em um currículo cultural cujas músicas se valem de articulações entre corpo e gênero para constituir sujeitos. O objetivo é significar o forró eletrônico como currículo endereçado de forma a constituir um público por meio daquelas articulações. Fundamentado nas teorias pós-críticas da educação, argumenta que os endereçamentos do forró eletrônico exercem uma biopolítica que transforma sua audiência em público forrozeiro. São analisados fragmentos discursivos de 66 músicas de forró eletrônico por meio de perspectivas metodológicas inspiradas nas análises foucaultianas, evidenciando alguns dos tipos masculinos e femininos disponibilizados pelas referidas músicas. Conclui-se que o corpo é o elemento unificador de efeitos de poder que buscam converter ouvintes de forró eletrônico em sujeitos de um público forrozeiro. 

Palavras-chave:Biopolítica; Modos de endereçamento; Gênero; Forró eletrônico. 

Biografia do Autor

Marlécio Maknamara, UFRN

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Endereço para contato: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Educação, Departamento de Práticas Educativas e Currículo. Av. Senador Salgado Filho, 3000, Lagoa Nova. CEP: 59072-970 - Natal, RN - Brasil. escrevequeeuleio@yaho.com.br.

Marlucy Paraíso, UFMG

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Currículos e Culturas (GECC). Endereço para contato: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação. Av. Antônio Carlos, 6627, Pampulha. CEP: 31270-901- Belo Horizonte, MG - Brasil.  marlucyparaiso@gmail.com.

Downloads

Publicado

2015-04-10

Como Citar

MAKNAMARA, M.; PARAÍSO, M. Biopolítica de endereçamentos de gênero no currículo do forró eletrônico. Revista Linhas, Florianópolis, v. 16, n. 30, p. 180 - 213, 2015. DOI: 10.5965/1984723816302015180. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723816302015180. Acesso em: 24 jul. 2021.