Os herdeiros: uma das principais “teses” da sociologia francesa da educação

Autores

  • Ione Ribeiro Valle

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723815292014232

Resumo

Os herdeiros (1964) figura, passados mais de 50 anos, como essencial à consolidação dos estudos sociológicos da educação. Explicitar algumas das razões para retomar esta obra num outro momento histórico, num outro espaço geográfico, num outro contexto cultural é o objetivo deste artigo. Nossa inspiração vem do fato de se tratar de uma obra que permanece contemporânea graças às questões que discute e que, no caso brasileiro, pode contribuir para a reflexão crítica das políticas educacionais mais recentes. Ao pôr em xeque a retórica da democratização da educação, ao vincular educação e cultura, desigualdades sociais e desigualdades escolares por meio de algumas teses, Os herdeiros apresenta uma força crítica incontornável à compreensão das instituições de ensino, podendo ser lida como um apelo ao engajamento dos intelectuais nas grandes causas sociais e educacionais, além de se constituir uma contribuição importante para os definidores das políticas para a educação nacional.

Palavras-chaves: Democratização da educação; Educação e cultura; Desigualdades sociais; Desigualdades escolares; Políticas educacionais.

Downloads

Publicado

2014-10-15

Como Citar

VALLE, I. R. Os herdeiros: uma das principais “teses” da sociologia francesa da educação. Revista Linhas, Florianópolis, v. 15, n. 29, p. 232 - 250, 2014. DOI: 10.5965/1984723815292014232. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723815292014232. Acesso em: 3 ago. 2021.