Análise da tarefa de lavar roupas

estudo exploratório sobre a acessibilidade de interfaces

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2316796310202021094

Palavras-chave:

Design Inclusivo, Usabilidade, Máquina de lavar roupas, Deficiência visual

Resumo

O presente artigo tem como objetivo mapear e analisar como as pessoas com e sem deficiência visual interagem com a máquina de lavar roupas a fim de identificar estratégias de uso que impactam na acessibilidade, usabilidade e experiência de uso. Para tanto foi realizado um estudo exploratório com cinco pessoas (duas com visão normal e três cegas) que consistiu na observação da tarefa de lavar roupas, associada a questionários pré e pós-teste. Os resultados do estudo apontam que as pessoas, de modo geral, buscam orientações de usuários mais experientes para garantir o uso assertivo, e que pessoas cegas customizam a interface do produto a fim de torná-la utilizável. Este estudo conclui que a falta de um processo de desenvolvimento pautado nos princípios do Design Universal e na abordagem do Design Centrado no Usuário, considerando o público com deficiência corrobora para a falta de acessibilidade dos produtos, apontando para a necessidade de princípios norteadores de projeto de apoio aos designers e engenheiros de produto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dominique Leite Adam, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Design de Sistemas de Informação pela Universidade Federal do Paraná (2018-2022). Mestre pela mesma instituição com projeto de pesquisa na área de acessibilidade para pessoas com deficiência visual. Possui graduação em Design Gráfico também pela Universidade Federal do Paraná (2011). Trabalho de conclusão de curso vendcedor do Prêmio Bom Design e que representou a Universidade Federal do Paraná, no Köln Design Preis / Alemanha em 2012. Dissertação de mestrado voltada a acessibilidade de imagens para cegos, com foco na sintaxe gráfica tátil. Tese de doutorado em andamento sobre a acessibilidade de interfaces multimodais de eletrodomésticos. Tem experiência na área de design gráfico, atuando em projetos de identidade visual e editorial com publicações na área de Design inclusivo, objetos de aprendizagem acessíveis, linguagem gráfica tátil, e adaptação de materiais inclusivos e interfaces multimodais.

 

 

 

Maria Lucia Leite Ribeiro Okimoto, Universidade Federal do Paraná

Pós-doutorado na Technische Universitat München, Fakultät für Maschinenwesen Lehrsthul für Ergonomie de julho/2012 à fev/2013, Alemanha. Doutora na área de Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina e RWTH-Aachen, Alemanha (2000). Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994). Graduação em Desenho Industrial pela Universidade Federal do Paraná (1983). Professora Titular do Departamento de Engenharia Mecânica na Universidade Federal do Paraná. Atuando no curso de Graduação em Engenharia Mecânica da UFPR e nos Programas de Pós-graduação: Engenharia Mecânica (PGMEC) e DESIGN (PPGDesign) da UFPR. Coordena o Laboratório de Ergonomia e Usabilidade (LABERG, UFPR). Coordenadora da Rede de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva (RPDTA). Atua dentro dos seguintes enfoques: Design Inclusivo, Usabilidade, Ergonomia, Tecnologia Assistiva e Cad3D. 

 

 

Referências

ABNT, A. B. DE N. T. NBR ISO 9241-11 - Requisitos ergonômicos para o trabalho com dispositivos de interação visual Parte 11: Orientações sobre usabilidade. 2011.

AGUIAR, V. C. DE. O desenvolvimento da usabilidade de interfaces em projetos - um estudo de caso em lavadora de roupa, 2004. Universidade Federal de São Carlos.

BARTHELMESS, P.; OVIATT, S. Multimodal Interfaces: Combining Interfaces to Accomplish a Single Task. HCI Beyond the GUI. p.391–444, 2008. Elsevier.

BIFANO, A. C. S. Uso Cotidiano De Produtos No Âmbito Doméstico : Interface Empresa E Economia Familiar. Revista Brasileira de Economia Doméstica, p. 174–204, 2015. Viçosa.

BRASIL, C. DE A. T. Tecnologia Assistiva. Brasília, 2009.

CONNNELL, B. J.; MACE, R.; MUELLER, J.; et al. The principles of universal design: Version 2.0. The Center for Universal Design, 2001.

EYES, B. M. Be My Eyes: Levando a visão para pessoas cegas ou com visão limitada. Disponível em: <https://www.bemyeyes.com/language/portuguese-brazil>. Acesso em: 2/3/2020.

GARRETT, J. J. The elements of user experience: user-centered design for the Web an Beyond. 2o ed. 2003.

IIDA, I. Ergonomia: projeto e produção. Editora Blusher, 2005.

ISO, I. O. FOR S. ISO 9241-210:2019 | Ergonomics of human-system interaction — Part 210: Human-centred design for interactive systems. 2019.

KEATES, S.; CLARKSON, P. J. Countering design exclusion through inclusive design. ACM SIGCAPH Computers and the Physically Handicapped, n. 73–74, p. 69, 2002.

LENS, L. Laundry Lens | Laundry symbols reader. Disponível em: <https://laundrylensapp.wixsite.com/home>. Acesso em: 19/8/2020.

LOBACH, B. Design industrial: Bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Editora Edgard Blücher LTDA, 2001.

MACE, R. L.; HARDIE, G. J.; PLACE, J. P. Accessible environments: toward universal design. North Carolina: The Center for Universal Design, 1996.

MAGUIRE, M. Methods to support human-centred design. International Journal of Human Computer Studies, v. 55, n. 4, p. 587–634, 2001. Academic Press.

MARCHI, S. R. Design Universal de Código de Cores Tátil: contribuição e acessibilidade para pessoas com deficiência visual. 2019. Universidade Federal do Paraná.

NORMAN, D. A.; DRAPER, S. W. Cognitive Engineering. User Centered System Design: New Perspectives on Human-Computer Interaction. p.526, 1986. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates Inc.

OLIVEIRA, T. A. B. DE. Estímulos sensoriais: Potencialidade na interação de usuários cegos em painéis de eletrodomésticos, 2018. Universidade do Estado de Santa Catarina.

PARK, C. W.; ALDERMAN, J. Designing across senses : a multimodal approach to product design. 1o ed. Sebastopol: O’Rilley Media, Inc, 2018.

PARK, JOOHWAN; HAN, S. H.; PARK, JUNGCHUL; et al. Development of a web-based user experience evaluation system for home appliances. International Journal of Industrial Ergonomics, v. 67, p. 216–228, 2018.

RAPOSO, N. O. Elementos estruturantes para o projeto de interfaces multimodais, 2015. Manaus: Universidade Federal do Amazonas.

REZENDE, M. H. D. M. Modelo do projetista e modelo do usuário no design de produtos: um estudo da atividade de lavar roupas. 2014. Universidade Federal de São Carlos.

SENADO, A. Pessoas com deficiência visual cobram eletrodomésticos adaptados — Senado Notícias. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/08/20/pessoas-com-deficiencia-visual-cobram-eletrodomesticos-adaptados>. Acesso em: 10/10/2019.

SULLIVAN, H. T.; SAHASRABUDHE, S. Envisioning inclusive futures: Technology-based assistive sensory and action substitution. Futures, v. 87, p. 140–148, 2017.

Downloads

Publicado

2021-12-09

Como Citar

ADAM, D. L.; OKIMOTO, M. L. L. R. Análise da tarefa de lavar roupas: estudo exploratório sobre a acessibilidade de interfaces. Human Factors in Design, Florianópolis, v. 10, n. 20, 2021. DOI: 10.5965/2316796310202021094. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/hfd/article/view/19774. Acesso em: 8 ago. 2022.