Chopin, Liszt e Lange As mazurkas brillantes

Autores

  • Willian Fernandes de Souza Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312905072010372

Palavras-chave:

mazurka, romantismo, liszt, chopin, lange

Resumo

Em etapas anteriores desta pesquisa evidenciou-se, a partir da análise da Mazurka Brillante (1850) de Liszt (1811-1886), uma espécie de apropriação por parte deste último do estilo composicional de Chopin (1810-1849). No presente artigo, incluímos como objeto de análise a Mazurka Brillante “Wanda” (1866), do compositor alemão Gustav Lange (1830-1889), a fim de traçar uma possível trajetória do gênero Mazurka e do seu adjetivo brillante. Observamos ainda que a Mazurka de Liszt pode ter servido de modelo para Lange ao compor sua Mazurka. Foram feitas análises em micro e macro escala a fim de entender quais aspectos estruturais e formais coincidem em ambas as peças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-31

Como Citar

Fernandes de Souza, W. (2018). Chopin, Liszt e Lange As mazurkas brillantes. DAPesquisa, 5(7), 372-386. https://doi.org/10.5965/1808312905072010372

Edição

Seção

Música