Fotografias feitas a mãos de escrita: uma poética do infravisual na Educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267612020040

Resumo

O texto aborda conceitos e materiais trabalhados em aula a partir de uma proposta de estágio de docência em uma disciplina voltada para as licenciaturas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A proposta se vale de exercícios de escrita e trabalha um viés poético, a partir de um visual fotográfico. Procura-se entrar na arte literária com o fazer da fotografia para escrever com o ínfimo, como um fator mínimo, o infra de um cotidiano visual da docência. Ao tomar esse fazer em uma concepção com o fotográfico, teríamos algo como um infravisual, uma poética. Compreende-se com Barthes (2013) que a escrita envolve um gesto manual e esse gesto ele o chama de escripção, se dá na prática de uma escrita manu-corporal. E, com Valéry (2018) e Adó (2013), como uma ação transformadora do espírito. Por fim, e por vias fotográficas, afirma-se o trabalho docente ao especular sobre o fazer artístico da escritora Virginia Woolf. Nisso, observa-se uma potência que pode, (ao extrair desses estudos recursos literários) viabilizar a produção de uma escrita em Educação que seja, ela mesma, de tropo fotográfico. Ou seja, um pensamento fotográfico que se produz por uma poética do infravisual.

 

PALAVRAS-CHAVE: Docência; escripção; fotografia; infravisual; poética.

Biografia do Autor

Steph Lotus, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Filosofias da Diferença e Educação pela Faculdade de Educação - FACED/UFRGS. Graduada em licenciatura em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018. Atua como Fotógrafa, Artista Visual e Professora de Artes. Ministra cursos e workshops. Tem experiência na área da Fotografia e pesquisa em Artes visuais. Tem atuação na área de Educação com ênfase em Artes Visuais, pesquisa principalmente a área da Fotografia relacionada com os seguintes temas: arte educação, escrita, literatura, processos alternativos em fotografia.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/6699575165075694

Máximo Daniel Lamela Adó, UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Adjunto na Faculdade de Educação e Professor Permanente no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5778480459612105

Referências

ADÓ, M. D. L. Educação Potencial: autocomédia do intelecto. Tese de Doutorado. Orientadora: Sandra Mara Corazza. Porto Alegre: UFRGS, 2013.

ADÓ, M. D. L. Tradução criadora na formação de professores – projeto de pesquisa. UFRGS-DEC- Departamento de ensino e currículo, 2016.

ADÓ, M. D. L. [∞] ESPAÇO [∑]. In: Sandra Mara Corazza. (Org.). Breviário dos sonhos em educação. 1ed.São Leopoldo: Oikos, 2019, p. 47-53.

BARTHES, R. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Tradução de Júlio Castañon Guimarães. 7ª. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BARTHES, R. Variaciones sobre la escritura. [S.l.]: Paidos Iberica Ediciones S A, 2002.

BARTHES, R. O grão da voz. Tradução de Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

BARTHES, R. Aula. Tradução de Leila Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 2013.

BARTHES, R. O prazer do texto. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2015.

BARTHES, R. Roland Barthes por Roland Barthes. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Estação Liberdade, 2017.

BRIZUELA, N. Depois da fotografia: uma literatura fora de si. Tradução de Carlos Nougué. 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

CORAZZA, S. M. O que se transcria em Educação? Porto alegre: UFRGS; Doisa, 2013.

DUBOIS, P. O Ato Fotográfico e Outros Ensaios. Tradução de Marina Appenzeller. Campinas: Papirus, v. 14, 2012.

DUCHAMP, M. Notas. Tradução de Dolores Díaz Vaillagou. Madrid: Tecnos, 1989.

FRANCA-HUCHET, P. INFRA-MINCE ou um murmúrio secreto. ARJ Brasil, v. 2, n. 2, p. 40-59, jul/dez 2015.

HUMM, M. Virginia Woolf e a Fotografia. Comunicação e Sociedade, p. 375-385, 2017.

KRAUSS, R. O fotográfico. Tradução de Anne Marie Davée. Barcelona: Gustavo Gili, 2002.

PEREC, G. Aproximações do quê? ALEA, v. 12, n. 1, p. 178-180, janeiro-junho 2010.

PIMENTEL, B. Paul Valéry Estudos Filosóficos Tese (Doutorado em Filosofia) Universidade de São Paulo. São Paulo: [s.n.], 2008. 187 p.

VALÉRY, P. Introdução ao Método de Leonardo da Vinci. Tradução de José Martins Garcia. Lisboa: Arcádia, 1979.

VALÉRY, P. Variedades. Tradução de João Alexandre Barbosa. São Paulo: Iluminuras, 1991.

VALÉRY, P. Lições de Poética. Tradução de Pedro Sette-Câmara. Belo Horizonte: Âyiné, 2018.

WOOLF, V. Um teto todo seu. Tradução de Bia Nunes de Sousa. [S.l.]: Tordesilhas, 2014.

WOOLF, V. O sol e o peixe: contos. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

WOOLF, V. A arte da brevidade: contos. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

Downloads

Publicado

2020-04-30