Atualização de virtualidades identitárias e a imanência de um idioma informe no espetáculo Verbi – O Idioma do Caos

Luiz Naim Haddad, Cinthia Creatini da Rocha

Resumo


Este artigo faz uma análise do espetáculo cênico Verbi – O Idioma do Caos, a partir de um diálogo entre a visão de uma antropóloga espectadora e do ator-dançarino, criador e performer da obra. A análise propõe a desterritorialização dos campos teóricos na composição dos olhares acerca de uma obra cênica que produz identidade pela atualização de virtualidades, ocorrendo muito mais na dimensão das intensidades do que das significações. Verbi transita por um processo que envolve estranhamento e rompimento de barreiras linguísticas, linguagem artística, gênero e nação. Cria-se uma paisagem cartográfica em cena, onde vetores estéticos atravessam o performer, o espaço e o público comportando-se como uma máquina performativa. Sugere a imanência de um idioma caótico capaz de constituir um ser humano múltiplo, plural e em um estado de consciência aberto para múltiplas possibilidades identitárias.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573102292017016



Direitos autorais 2017



 

    

 

Indexadores

   

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.