Das pequenas produções à agroindústria: suinocultura e transformações na paisagem rural em Chapecó, SC

Samira Peruchi Moretto, Marlon Brandt

Resumo


O município de Chapecó, localizado no oeste do estado de Santa Catarina, passou por diversos momentos de transformações ambientais desde a sua criação, em 1917. Mesmo antes desse período, já havia grupos humanos habitando o local e interagindo com o mundo natural. No entanto, partir do século XX, a região Oeste de Santa Catarina passou a receber migrantes de descendência europeia oriundos de outras colônias, principalmente, do Rio Grande do Sul, em busca de terras para lavoura. O governo do Estado concedeu terras devolutas a algumas companhias colonizadoras, as quais ficaram encarregadas por dividir essas terras em lotes que seriam vendidos aos colonos. Este estudo visa analisar os desdobramentos em torno da criação dos suínos, a partir da segunda metade do século XX, ligado à expansão da agroindústria e às transformações ambientais na região Oeste de Santa Catarina. Mesmo com a longa datação de ação antrópica na região, é inegável que nos últimos cinquenta anos do século XX, as transformações ambientais tornaram-se mais intensas.


Texto completo:

PDF

Referências


BAVARESCO, Paulo Ricardo. A história econômica do oeste catarinense. In: Mirian Carbonera et al. (Orgs.). Chapecó 100 anos: histórias plurais. 1 ed. Chapecó: Argos, 2017, p. 281-313.

BOSSLE, Ondina Pereira. História da industrialização catarinense: das origens à integração no desenvolvimento brasileiro. 2. Ed. Florianópolis: CNI/Fiesc, 1988.

BRANDT, Marlon; NODARI, Eunice Sueli. Comunidades tradicionais da Floresta de Araucária de Santa Catarina: territorialidade e memória. História Unisinos, São Leopoldo, v. 15, n. 1, p. 80-90, 2011.

BRANDT, Marlon. Uma história ambiental dos Campos do Planalto de Santa Catarina. 2012, 332 f. Tese (Doutorado em História) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

______. Criação de porcos “à solta” na Floresta Ombrófila Mista de Santa Catarina: paisagem e uso comum da terra. História (São Paulo. Online), v. 34, p. 303-322, 2015.

BRDE prova que a economia do Oeste está na suinocultura e na extração de madeiras. Folha d’Oeste. Diretores Homero Franco e Gabriel Dezen. Chapecó, 16 de novembro de 1968, ano V, n. 174, p. 1 e 8.

CARVALHO, Miguel Mundstock Xavier de; NODARI, Eunice Sueli; NODARI, Rubens Onofre. “Defensivos” ou “agrotóxicos”? História do uso e da percepção dos agrotóxicos no estado de Santa Catarina, Brasil, 1950-2002. História, ciência, saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 75-91, jan. 2017.

CHAPECÓ. Lei nº 12, de 24 de março de 1970. Concede benefícios as indústrias que se estabelecerem no município de Chapecó. Diário Oficial do Município, Chapecó, SC, 24 mar. 1970. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2018.

CORRÊA, Roberto Lobato. O sudoeste paranaense antes da colonização. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, n. 1, ano 32, p. 87-98, jan/mar. 1970.

CROSBY, Alfred W. Imperialismo ecológico: a expansão biológica da Europa (900-1900). São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

Definição de porco tipo carne. Folha d’Oeste. Chapecó, 10 de janeiro de 1970, ano VI, n. 230, p. 6.

DUFLOTH, J. H; et.al. (Org.). Estudos básicos regionais de Santa Catarina. Florianópolis: EPAGRI, 2005. 1 CD ROM.

EMBRAPA. Porco light tem mais carne e dá mais lucro. 01/07/96. Disponível em: . Acesso em 26 jun. 2018.

EMPRESA CATARINENSE DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Relatório anual 1976. In: EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE SANTA CATARINA. Coletânea dos trabalhos editados pela EPAGRI: Relatório anual. Chapecó: Epagri, 1993.

Estradas péssimas. A voz de Chapecó. 30/07/1939. N. 13 Página:4 Coluna: 4. Acervo BPESC.

ESPÍNDOLA, Carlos José. As agroindústrias do Brasil: o caso Sadia. Chapecó: Grifos, 1999.

FERRARI, Maristela. Conflitos e povoamento na zona de fronteira internacional Brasil-Argentina: Dionísio Cerqueira (SC), Barracão (PR) e Bernardo de Irigoyen (MNES. ARG). 2003. 290 fl. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2003.

FOLDER Embrapa MS115: suíno light. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2008. Disponível em: . Acesso em 20 ago. 2018.

FORNECK, Elisandra; LUBENOW, Aline Maisa. Cooperativismo, modernização agrícola e desenvolvimento econômico no oeste catarinense. In: Mirian Carbonera et al. (Orgs). Chapecó 100 anos: histórias plurais. 1 ed. Chapecó: Argos, 2017, p. 315-356.

FORNECK, Elisandra; KLUG, João. Suinocultura no oeste catarinense: do desastre ambiental à busca de equilíbrio. In: NODARI, Eunice Sueli; ESPÍNDOLA, Marcos Aurélio; LOPES, Alfredo Ricardo. (Org.). Desastres Socioambientais em Santa Catarina. São Leopoldo: Oikos, 2015.

CARVALHO, Miguel Mundstock Xavier de; NODARI, Eunice Sueli; NODARI, Rubens Onofre. “Defensivos” ou “agrotóxicos”? História do uso e da percepção dos agrotóxicos no estado de Santa Catarina, Brasil, 1950-2002. História, ciência, saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 75-91, jan. 2017.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário Santa Catarina. Censos econômicos de 2006. Rio de Janeiro, IBGE: 2009.

IBGE. Porcos no frigorífico SAIC em Chapecó (SC), 1957. Série: Acervo dos trabalhos geográficos de campo. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=421899 Acesso 10 de abril de 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Séries estatísticas retrospectivas, v. II, tomo II. Rio de Janeiro: IBGE, 1986.

LAGO, Paulo Fernando. Gente da terra catarinense – desenvolvimento e educação ambiental. Florianópolis: Ufsc/FCC/Lunardelli/Udesc, 1988.

LANZNASTER, Mário. Entrevista a Mario Lanznaster concedida a Andressa Krieser Bauermann e Marlon Brandt. Chapecó, 2017. Acervo do projeto de extensão Memória histórico-geográfica do Planalto e Oeste de Santa Catarina: imagens e oralidades.

MACHADO, Isabel Cristina; MARANGONI, Sheila; HEFFEL, Patricia. 15 anos Abrindo as portas para a qualidade. Chapecó: Aurora Alimentos - T12, 2013.

MACHADO, Roberto. O Calor do Frigorífico. O Imparcial: Jornal Independente. Diretor proprietário Alexandre Tiezerini. Chapecó, 13 de julho de 1952, ano II, n. 68, p. 1.

MIELE, M.; WAQUIL, P. D. Cadeia produtiva da carne suína no Brasil. Revista de Política Agrícola, v. 16, n. 1, p. 75-87, jan./mar. 2007.

Ministro Andreazza ainda não cumpriu sua promessa de inaugurar frente de trabalho na BR-282. Folha d’Oeste. Diretores Homero Franco e Gabriel Dezen. Chapecó, 17 de agosto de 1968, ano V, n. 161, p. 1.

MIRANDA, Claudio Rocha; MIELE, Marcelo. Suinocultura e Meio Ambiente em Santa Catarina: Indicadores de desempenho e avaliação sócio-econômica. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2009.

NASCIMENTO, Ederson. A segregação socioespacial em Chapecó: formação histórico-geográfica e tendências contemporâneas. In: NASCIMENTO, Ederson, VILLELA, Ana Laura Vianna. (Orgs). Chapecó em foco: textos e contextos sobre o espaço urbano- regional. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017, p. 105-154.

NODARI, Eunice Sueli. Etnicidades renegociadas: práticas socioculturais no Oeste de Santa Catarina. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009.

NODARI, Eunice Sueli. “Mata Branca”: o uso do machado, do fogo e da motosserra na alteração da paisagem de Santa Catarina. In: NODARI, Eunice Sueli; KLUG, João (Orgs). História Ambiental e Migrações. São Leopoldo: Oikos, 2012, p. 35-53.

OLINGER, Glauco. Siga êste livro e crie suínos. 3. Ed. Florianópolis: [s.l], 1969.

PAIM, Elison Antonio. Aspectos da constituição histórica da região oeste de Santa Catarina. Saeculum Revista de História, João Pessoa, n. 14, p. 121-138, jan./jun. 2006.

PERTILE, Noeli. Formação do espaço agroindustrial em Santa Catarina: o processo de produção de carnes no oeste catarinense. Tese (Doutorado em Geografia). UFSC, Florianópolis, 2008.

QUEIROZ, Maurício Vinhas de. Messianismo e conflito social: a guerra sertaneja do Contestado (1912-1916). 3. ed. São Paulo: Ática, 1981. Coleção Ensaios, n. 23.

RECHE, Daniella. O Estado e a produção do espaço urbano de Chapecó nas décadas de 1970 e 1980. In NASCIMENTO, Ederson, VILLELA, Ana Laura Vianna. (Orgs). Chapecó em foco: textos e contextos sobre o espaço urbano- regional. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017, p. 37-63.

RENK, Arlene Anélia. A luta da erva: um ofício étnico da nação brasileira no oeste catarinense. 2. ed. Chapecó: Argos, 2006.

SANTA CATARINA. Atlas Geográfico de Santa Catarina. Florianópolis: Departamento Estadual de Geografia e Cartografia, 1958.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4 ed. São Paulo: Edusp, 2006.

SCHNEIDER, Vicente. Em defesa dos Suinocultores. O Imparcial: Jornal Independente. Diretor proprietário Alexandre Tiezerini. Chapecó, 24 de agosto de 1952, ano II, n. 74, p. 2.

SILVA, Claiton Marcio da; HASS, Monica. “O Oeste Catarinense não pode parar aqui”. Política, agroindústria e uma história do ideal de progresso em Chapecó (1950‐1969). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 21, p. 338 ‐ 374. maio/ago. 2017.

VALENTINI, Delmir José. O tropeirismo de suínos na região do Contestado e sua influência no incipiente processo agroindustrial. In: ZOTTI, Solange Aparecida (org). História faz história: contribuições ao estudo da história regional. Concórdia: UnC, 2006.

WAIBEL, Léo. Princípios da colonização européia no Sul do Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 159-222, abr/jun., 1949.

ZIMMERMANN, Bruno. Entrevista a Bruno Zimmermann concedida a Andressa Krieser Bauermann. Pinhalzinho, 2017. Acervo do projeto de extensão Memória histórico-geográfica do Planalto e Oeste de Santa Catarina: imagens e oralidades.

ZOLET, Victorino B; SILVESTRIN, Alvírio (orgs). 50 anos fotografando Chapecó: uma coletânea de mais de 500 fotos. Chapecó: Ed. do Autor, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180311262019229

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com