Chamada de Artigos para o Dossiê: Ensino de história e tempo presente

História e Memória estão no centro de muitos debates atuais. O interesse pelo passado, expresso em mídias, na teledramaturgia e em revistas especializadas no trato com o passado, alcança as discussões políticas. Os debates sobre o currículo de história, na Educação Básica, convivem com as disputas por memória e com as demandas por outras perspectivas nas abordagens históricas. A rede mundial de computadores tem sido um espaço pródigo em formulações revisionistas que recusam os parâmetros e os procedimentos da pesquisa histórica. A História Ensinada ocupa o centro deste debate político, pois, é considerada um discurso poderoso na transmissão de uma compreensão da vida social e da transmissão de uma narrativa sobre os fatos sociais. Não por acaso, tais discussões e debates coexistem com os questionamentos sobre a liberdade de ensinar e a defesa de uma Escola livre de ideologias e com manifestações de estranhamento a abordagens relativas à cultura afro-brasileira, às questões de gênero, ao trato da Ditadura Civil-Militar e suas violências e, sobretudo, à crítica abalizada pela crítica histórica, no Brasil e no mundo. Discutir, pois, o Ensino de História, seus percalços e suas possibilidades, significa abordar um dos problemas centrais do tempo em que vivemos: o avanço de perspectivas conservadoras que buscam reverter ou redimensionar conquistas sociais e políticas alcançadas nos últimos cinquenta anos. O Dossiê “Ensino de história, sensibilidades e tempo presente” pretende reunir discussões e análises sobre a História Ensinada e sua relação com as questões do nosso tempo, de modo a evidenciar a importância da História Escolar, com destaque para as pesquisas sobre temas sensíveis como as abordagens sobre gênero, violência, diversidade e diferença no Ensino de História e, sobretudo, sobre a relevância da História Escolar para os processos de formação de crianças, adolescentes e adultos inseridos nos processos formais de educação. O dossiê receberá tanto reflexões pautadas em pesquisa empírica quanto aquelas de natureza teórica, sempre voltadas para discussão da temática proposta.

Organização:

Helenice Aparecida Bastos Rocha (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
María Paula González (Universidade Nacional de General Sarmiento)
Mauro Cezar Coelho (Universidade Federal do Pará)