COMPORTAMENTO DOS CUSTOS EM PROCESSOS DE FUSÃO: UM TESTE EMPÍRICO DA EMPRESA BRASIL FOODS

Diego Rafael Stüpp, Altair Borgert, Fernando Richartz, Leonardo Flach

Resumo


O objetivo deste artigo é identificar o reflexo do processo de fusão no comportamento dos custos na empresa Brasil Foods. Para atingir este objetivo parte-se do conceito de sinergia e, assim, comparam-se o somatório das empresas Sadia e Perdigão com os dados da empresa Brasil Foods (resultante da fusão). As análises englobam 42 trimestres anteriores e 16 posteriores a fusão, a qual ocorreu no segundo trimestre de 2009. No que se refere ao índice Custo dos Produtos Vendidos/Receita Operacional Líquida percebe-se que a fusão alterou o comportamento deste indicador, o qual, após o processo apresenta estabilidade. Contudo, foi em relação ao indicador Despesas com Vendas/Receita Operacional Líquida que se apresenta o maior ganho de sinergia em função de um crescimento das Despesas com Vendas em magnitude inferior ao crescimento das Receitas. Por outro lado, o índice Despesas Administrativas/Receita Operacional Líquida não apresenta melhoras com o processo de fusão. Pelo contrário, a média deste índice passou de 13% para aproximadamente 14,8%. As Despesas Financeiras, de forma semelhante às Despesas Administrativas, não apresentam ganhos sinérgicos com a fusão. Quando analisado apenas o Lucro Líquido/Receita Operacional Líquida, o qual é reflexo de todas as receitas deduzidas dos itens de custos, percebe-se situação semelhante nos dois períodos analisados. Assim, pode-se concluir com a realização deste estudo que os ganhos sinérgicos ocorreram de forma isolada, ou seja, nos índices de Custo dos Produtos Vendidos e Despesas de Vendas. Porém, numa análise global o processo de fusão não apresentou impactos significativos para as empresas.


Texto completo:

PDF



Revista mantida pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Campus Ibirama
® 2017 Direitos Reservados