AVALIAÇÃO DA EVIDENCIAÇÃO DA REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES E OS NÍVEIS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

Diego Rafael Stüpp, Ilaci Pavesi, Ernesto Fernando Rodrigues Vicente, Luiz Alberton

Resumo


A governança corporativa surgiu como proposta de minimização dos conflitos e custos decorrentes do problema de agência. Este estudo tem por objetivo verificar como se encontra a evidenciação da remuneração dos administradores nas empresas brasileiras listadas na BM&FBovespa com maior e menor nível de governança corporativa, com base no do modelo europeu de avaliação proposto por Ferrarini, Maloney e Ungureanu (2009). Trata-se de um estudo descritivo quanto aos objetivos, no que se refere aos procedimentos técnicos enquadra-se como pesquisa documental na base de dados obtida a partir do Formulário de Referencia das companhias listadas na BM&FBovespa. Quanto à abordagem do problema apresenta-se como um estudo quantitativo com a aplicação do teste de hipóteses denominado teste t de Student. Têm-se como amostra 20 empresas sendo 10 do segmento de governança corporativa do Novo Mercado e outras 10 do Tradicional. Os resultados do trabalho mostram maior grau de evidenciação nas empresas do Novo Mercado para as áreas de governança e evidenciação individual dos executivos e não executivos, enquanto para a área de política de evidenciação, o grau de evidenciação encontra-se semelhante para os níveis de governança Tradicional e Novo Mercado.


Texto completo:

PDF



Revista mantida pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Campus Ibirama
® 2017 Direitos Reservados