Artesanato: mercadoria, valor e feitiche

Emanuelle Kelly Ribeiro da Silva

Resumo


RESUMO

 

Este artigo tem como objetivo expor reflexões acerca do artesanato como diferencial simbólico para os produtos na atualidade. A discussão responde ao objetivo de identificar as suas características como bem simbólico/cultural e ao mesmo tempo econômico, buscando-se, assim, quebrar paradigmas concernentes à sua “idealização” que é pautada numa concepção do artesanato como algo precioso e intocável.  Baseia-se em revisão de literatura que parte da teoria marxista sobre a mercadoria, o valor e o fetiche, passando pelo posicionamento do artesanato em meio aos bens de consumo.

Palavras-chave: Artesanato, Mercadoria, Fetiche

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1982615x09182016121

Direitos autorais Emanuelle Kelly Ribeiro da Silva

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png