Boi Neon: A Moda como Metáfora do Contemporâneo e Experiência do Sensível

Suellen Cristina Vieira, Alexandre Link Vargas

Resumo


A partir do loga-metragem brasileiro, Boi Neon (2006), dirigido por Gabriel Mascaro, este presente artigo tem como objetivo compreender as implicações da temporalidade na experiência estética e sensível da moda e como a mesma se expressa como metáfora do contemporâneo, sob a perspectiva dos autores Giorgio Agamben e Emauelle Coccia. A problemática deste estudo busca entender a formação das identidades dos personagens da narrativa e de como tais atributos podem estar relacionados à formação dos sujeitos contemporâneos. O resultado da análise vem do entrecruzamento dos conceitos e das cenas examinadas através da metodologia de análise fílmica. Dessa forma, foi possível constatar que a construção dos personagens nos leva ao mundo contemporâneo, de sensações, quebras de estereótipos e paradigmas.

Palavras-chave


Moda, Design de Moda, Figurino

Texto completo:

PDF PDF EN

Referências


AGAMBEM, Giorgio. O que é o contemporâneo e outros ensaios. São Paulo: Argos, 2009.

Boi Neon. Direção de Gabriel Mascaro. Produzido por: Desvia, Malbicho Cine e Viking Films. Imovision, 2015.

Boi Neon. Desvia Filmes, Cine e Viking Films. Imovision, 2015. Disponível em: Acesso em: 06 nov. 2018.

BRITO, João Batista de. Imagens amadas. São Paulo: Ateliê editorial, 1995.

CALANCA, Daniela. História social da moda. São Paulo: Senac, 2008.

CELANT, Germano. Cortar é pensar: arte & moda In: PRADILHA, Céron; REIS, Paulo. Kant: crítica e estética na modernidade. São Paulo: Editora Senac SP, 1999

COCCIA, Emanuelle. A vida sensível. Tradução: Diego Cervelin. –. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2010.

GABRIEL MASCARO. Gabriel Mascaro. Disponível em < http://pt.gabrielmascaro.com/>. Acesso em: 10 nov, 2018.

HOLZMEISTER, S. O estranho na moda. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2010.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. Trad. Valerio Rohden e Udo Baldur Moosburger. São Paulo: Abril cultural, 1983

SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e como representação. São Paulo: UNESP, 2005.

VANOYE, F.; GOLIOT-LETE, A. Ensaio sobre a análise fílmica. 7. ed. Campinas, SP: Papirus, 2011.

VILLAÇA, Pablo. Crítica - Boi Neon. Cinema em cena, São Paulo, 2015. Disponível em: Acesso em: 04 de nov. 2018.

WALTER, Benjamin. O anjo da história. Trad. João Barreto. Editora Autêntica, São Paulo. 2012.

XAVIER, Ingrid. Boi neon duas perspectivas sobre o filme. Cinegrafando, São Paulo. 2015. Disponível em: Acesso em: 06 de nov. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1982615x12252019209

Direitos autorais Suellen Cristina Vieira, Alexandre Link Vargas

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png