Rupturas do Vestir: Uma Análise de “Vestido Nuevo” e a Formação da Identidade de Gênero na Infância

Marianna Ribeiro Pires, claudia schemes

Resumo


A partir da perspectiva da moda e do cinema como manifestações culturais e suas relações possíveis com os estudos de gênero, busca-se problematizar as questões que circundam as rupturas dos modos de vestir, em relação aos gêneros, estabelecidos culturalmente na sociedade ocidental contemporânea. Nosso olhar se volta para a infância, período no qual se constitui a identidade de gênero do sujeito, sua apreensão de mundo e o seu lugar nesse espaço de socialização. Com tal enfoque, analisa-se a roupa enquanto linguagem, e como sua utilização pode estar atrelada na busca por afirmação e reconhecimento da identidade de gênero. De igual forma, o cinema representa práticas sociais que expressam, dialogam ou contestam discursos por meio das telas. Neste artigo analisaremos o curta-metragem espanhol “Vestido Nuevo” (2007), que trata as questões de gênero no contexto escolar. Com isso, objetiva-se compreender e refletir como a escolha das vestimentas provocam choques e antagonismos sociais.


Palavras-chave


Gênero, Moda, Vestido Nuevo

Texto completo:

PDF PDF EN

Referências


BARNARD, Malcom. Moda e Comunicação. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ: Rocco, 2003.

BRETON, David Le. Antropologia do corpo e modernidade. 1º ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

CALANCA, Daniela. História social da moda. 1º ed. São Paulo, SP: Editora Senac São Paulo, 2008.

CASTILHO, Kathia. Moda e linguagem. 2. ed. São Paulo, SP: Editora Anhembi Morumbi, 2009.

GOBIERNO DE ESPAÑA. Vestido Nuevo. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2018.

GROSSI, Miriam Pillar. Identidade de gênero e sexualidade. Antropologia em 1º mão, Florianópolis, UFSC/PPGAS,1998. Disponível em:< http://miriamgrossi.paginas.ufsc.br/files/2012/03/grossi_miriam_identidade_de_genero_e_sexualidade.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2018.

JESUS, Jaqueline Gomes de. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Guia Técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais trasgêneros, para formadores de opinião. Brasília, DF, 2012.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 6º ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2003.

MIRANDA, Ana Paula de. Consumo de moda: A relação pessoa-objeto. 1º ed. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2008.

NAPOLITANO, Marcos. Fontes históricas. In: PINSKY, Carla (org.). 3º ed. São Paulo, SP: Contexto, 2011.

NOVA ESCOLA. Educação sexual: precisamos falar sobre Romeo... Disponível em: < https://novaescola.org.br/conteudo/80/educacao-sexual-precisamos-falar-sobre-romeo> Acesso em: 10 nov. 2018.

PETRY, Analídia Rodolpho; MEYER, Dagmar Elisabeth Estermann. Transexualidade e heteronormatividade: algumas questões para a pesquisa. Textos e Contextos, v.10, n. 1, p. 193-198, jan/jul 2011. Disponível em: Acesso em: 09 jan. 2018.

PRÊMIOS DO CURTA. Disponível em > http://www.mcu.es/comun/bases/cine/Anuarios/2007/P43406.pdf >. Acesso em 07/11/2018.

ROSSINI, Miriam de Souza. Narrativas, imagens e práticas sociais: percursos em história cultural. 1º ed. Porto Alegre, RS: Asterisco, 2008.

SABAT, Ruth. Pedagogia cultural, gênero e sexualidade. Estudos Feministas, v. 9, n. 1, p. 11-21, set. 2001. Disponível em:. Acesso em: 07 nov. 2018.

THE VINTAGE NEWS. Most Victorian-era boys wore dresses and the reasons were practical. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

VESTIDO Nuevo. Direção de Sergi Pérez. Barcelona: Espanha: Escándalo Films, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1982615x12252019061

Direitos autorais Marianna Ribeiro Pires, claudia schemes

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png