A política dos livros didáticos de história nas salas de aula sul-africanas na era do Curriculum 2005

Bekisizwe Ndimande

Resumo


A África do Sul celebrou recentemente vinte anos da transição política do regime de apartheid para uma nação democrática. Uma das mudanças importantes nesta transição foi a reforma curricular, incluindo a natureza do conteúdo dos livros didáticos ensinado nas escolas Sul-Africanas pós-apartheid. Este artigo discute o conteúdo dos livros didáticos na era do Curriculum 2005, uma declaração nacional curricular introduzida em 1997 e posteriormente revista em 2002. Primeiramente, discuto a história sócio-política da educação na África do Sul, incluindo a transição do apartheid para o pós-apartheid como um contexto para esta análise. Em segundo lugar, descrevo as limitações de conteúdo dos livros didáticos de história, ensinado nas salas de aula pós-apartheid. Usando a teoria crítica, argumento que o conteúdo dos livros adotados recentemente não interrompeu de forma decisiva a histórica deturpação e sub-representação da história política de grupos marginalizados na África do Sul, embora alguns livros tenham feito mais progressos do que outros.

Palavras-chave: Livros Didáticos de História. África do Sul. Pós-Apartheid. Curriculum 2005. Teoria Crítica.


Texto completo:

PDF


Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi
Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001
(48) (48) 3664-8585
revistalinhas@gmail.com