Comentários do leitor

Como Controlar uma Mente Faminta?

por Marcos Santos (2019-07-18)

 |  Publicar resposta

Independente da maneira da qual escolheu para emagrecer, sabemos que não poderá permanecer se você não tiver disciplina alimentar.


É muito importante que logo depois de perder peso, a pessoa tenha discernimento para controlar sua alimentação.


Porém, sabemos que não é tão fácil assim. Algumas pessoas que passam por cirurgias como redução de estômago por exemplo, passam por apuros depois.


Por quê? Porque a perda de peso foi tão rápida que sua mente não teve tempo de aprender a pensar em comida moderadamente.


Então, seja qual for sua estratégia para emagrecer... Manuela Jobst, do site Nutri Jobst, ensina a sua mente a não pensar em gula.



Separe a fome do desejo de comer


Pessoas magras são capazes de diferenciar os momentos em que o estômago está realmente vazio, dos momentos em que ele não está.


Bom vamos lá! Uma coisa é estar com a necessidade de nutrição, que é quando o seu corpo pede.


Outra coisa é estar com desejo de comer comidas deliciosas que te saciam pela gordura.


Como saber definir a necessidade da vontade? As analisando assim que aparecerem em sua mente.


Mas não se engane, algumas vezes podemos estar seguindo uma dieta sem nenhuma fonte de gordura. E por isso, talvez o seu corpo esteja precisando da substância.


Ao se equilibrar diante seus desejos e necessidades alimentares, sua mente poderá começar a gritar inicialmente.


Mas fique firme diante 21 dias, que depois desse período essa consciência se tornará automática. Manuela costuma sempre mostrar isso em suas redes sociais



Controlar a baixa tolerância

Aprendemos anteriormente que para transformar nossa mente de faminta para controlada (e magra), devemos localizar nossas vontades e não se entregar a elas.


Mas sabemos que isso não é nada fácil, pois não temos tolerância ou experiência de controlá-las.


Então, qual seria o caminho mais fácil para chegar ao controle?


Existe uma estratégia que funciona muito bem não somente neste caso, mas em diversas outras partes da vida: a distração.


Quando estamos nos entretendo, disponibilizamos uma sensação positiva para a mente.


Assim, ela se dispersa e foca na atividade recentemente disposta. Esse entretenimento pode acontecer com:



  • A leitura de um livro;

  • Ao assistir um filme ou série;

  • Prática de alguns exercícios físicos;

  • Participação em jogos (esporte ou videogame);

  • O aprendizado em algo novo (seja idioma ou um instrumento).

Lembrando que, ao gastar energia com essas atividades, sua mente poderá te sabotar com desejos bem calóricos ao finaliza-los.


Para não cair nessa tentação, já tenha em mãos alguma comida agradável e com os nutrientes energéticos necessários.



Não goste da sensação de estar cheio


Pessoas magras geralmente gostam de comer até se sentirem razoavelmente cheias. Manuela Jobst tem explicado o porque em sua página do facebook facebook.com/manuelajobstt


A verdade é que elas não sentem a compulsão de esvaziar seus pratos.


Já parou para pensar nisso? Você se alimenta para saciar sua fome ou para ver o seu parto esvaziar?


De novo é importante ressaltarmos que a consciência é primordial, afinal, estamos lidando com nossas mentes.


Ao descobrir que você está viciado na ideia de limpar o prato, o que fazer? Trocar esse princípio por outro bem mais saudável.


Primeiramente, não concorde com a sensação de estar com o estômago mais que cheio, corrija isso!


Em segundo lugar, coloque no seu prato somente o que precisa para a necessidade biológica. Pense seriamente isso.


Corrigindo sua mente faminta através desses pensamentos, você poderá ver que ela pode ser vencida por hábitos simples.


Nutri Jobst, atende em:


R. Dr. Zeferino Alves do Amaral, 925 - Segundo Andar
Centro, Atibaia
São Paulo



Incluir comentário