Trilhando na Ilha da Magia: do Homem do Sambaqui à Etnomatemática

Jeanice Back Andrade, Edilene Monteiro, Renata Cristine Conceição

Resumo


Esse trabalho está sendo desenvolvido com crianças do primeiro do ensino fundamental. A proposta de uma trilha na Ilha da Magia articulando o homem do Sambaqui e a busca por sua Etnomatemática surgiu no diálogo com os estudantes quando trabalhamos os elementos da identidade de cada criança e do local de onde vivem.  Buscou-se problematizar a possível Etnomatemática dos habitantes da ilha no passado através de suas marcas rupestres, bem como a apropriação e ampliação das diferentes linguagens que emergem desse contexto. Trabalhamos a matemática por meio de jogos, materiais manipuláveis, resolução de situações problemas envolvendo o tema e abarcamos os conceitos matemáticos de vários eixos. Constatou-se que uma prática contextualizado e interdisciplinar pode contribuir significativamente para uma apropriação das diferentes linguagens e desenvolver nas crianças um sentimento de pertencimento, de existência e afeto pelo local em que vivem.  


Texto completo:

PDF

Referências


D’AMBRÓSIO, U. Etnomatemática. Elo entre as tradições e a modernidade. 2ª Edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. 110 p.

SMOLE, S. C.; DINIZ, M. I.; CÂNDIDO, P. Resolução de problemas. Porto Alegre: Artmed, 2000. 96p. (Coleção Matemática de 0 a 6, v. 2).

Proposta Curricular da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. 2016.

CORREA, Carlos Humberto P. História de Florianópolis Ilustrada. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.