Imagens poéticas e imagens dialéticas em Lygia Clark e Hélio Oiticica

Manuela Quadra de Medeiros

Resumo


Resumo: A partir das teorias e dos conceitos desenvolvidos por Georges Didi-Huberman no livro O que vemos, o que nos olha, no qual o autor desdobra a ideia de imagem dialética de Walter Benjamin, este artigo tem como objetivo analisar o processo de concepção das obras e das proposições dos artistas plásticos brasileiros Lygia Clark e Hélio Oiticica nos anos 60 e 70. A busca das proposições de Hélio e Lygia foi para que a obra fosse vista como um processo, um movimento dialético capaz de criar e de propor imagens dialéticas ao seu espectador, que, para esses artistas, deveria ser transformado cada vez mais em participador da obra. Isto é, Hélio Oiticica e Lygia Clark procuravam fazer com que suas proposições-obras olhassem para seus espectadores-participadores à medida que eles olhassem para elas.

Palavras-chave: Lygia Clark; Hélio Oiticica; imagens dialéticas; literatura e artes visuais.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Manuela Quadra de Medeiros

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

---- Revista Ciclos ---- Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - PPGAV ---- Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC ---

 Av. Madre Benvenuta, 1907, Bairro Itacorubi ---Florianópolis, SC --- CEP 88.035-001