Atributos do solo e produtividade do milho cultivado em sucessão a plantas de cobertura de inverno

Cleudson José Michelon, Emanuele Junges, Carlos Alberto Casali, João Batista Rossetto Pellegrini, Lethícia Rosa Neto, Zanandra Boff de Oliveira, Marília Boff de Oliveira

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes plantas de cobertura de inverno na fertilidade do solo e produtividade da cultura do milho. O experimento foi conduzido por três safras agrícolas, de 2011 a 2014. Os tratamentos utilizados foram as plantas de coberturas de inverno ervilhaca, aveia preta, tremoço azul, nabo forrageiro, azevém e ervilha forrageira cultivadas isoladamente, além dos consórcios aveia preta com ervilhaca, aveia preta com nabo forrageiro e ervilhaca, aveia preta com nabo forrageiro e uma parcela controle, sem uso de plantas de cobertura (Pousio). O delineamento experimental foi de blocos ao acaso com três repetições. Em três safras agrícolas foram avaliados os atributos químicos e físicos do solo, o rendimento de massa seca da parte aérea das plantas de cobertura e o rendimento de grãos do milho cultivado em sucessão. A ervilha forrageira produziu mais matéria seca na safra 2011/2012, enquanto os consórcios aveia + ervilhaca e aveia + nabo + ervilhaca produziram mais nas safras de 2012/2013 e 2013/2014. O rendimento de grãos de milho foi maior em sucessão a fabáceas e consórcios na safra 2011/2012 e em sucessão a aveia + ervilhaca + nabo e tremoço nas safras 2012/2013 e 2013/2014. O cultivo de plantas de cobertura por três anos consecutivos resultou em incremento nos teores de matéria orgânica e na disponibilidade de fósforo e potássio no solo.


Palavras-chave


adubação verde, manejo de solo, rotação de culturas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA JA et al. 2005. Propriedades químicas de um Cambissolo Húmico sob preparo convencional e semeadura direta após seis anos de cultivo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 29: 437-445.

ALVAREZ R et al. 2017. Cover crop effects on soils and subsequent crops in the pampas: A meta-analysis. Soil and Tillage Research 170: 53-65.

BERGAMASCHI H et al. 2006. Déficit hídrico e produtividade da cultura do milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira 41: 243-249.

BORGES WLB et al. 2015. Plantas de cobertura para o noroeste do estado de São Paulo. Ciência Rural 45: 799-805.

BOUWMAN AF et al. 2013. Global trends and uncertainties in terrestrial denitrification and N2O emissions. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences 368: 20130112.

CALEGARI A. 2008. Plantas de cobertura e rotação de culturas no sistema de plantio direto. Informações Agronômicas 122: 18-21.

CALONEGO J et al. 2017. Soil compaction management and soybean yields with cover crops under no-till and ocasional chiseling. European Journal of Agronomy 85: 31-37.

CANELLAS LP et al. 2003. Propriedades químicas de um Cambissolo cultivado com cana-de-açúcar, com preservação do palhiço e adição de vinhaça por longo tempo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 935-944.

CARVALHO IQ et al. 2007. Espécies de cobertura de inverno e nitrogênio na cultura do milho em sistema plantio direto. Scientia Agraria 8: 179-184.

CQFS-RS/SC. 2004. Comissão de Química e Fertilidade do Solo RS/SC. Manual de adubação e calagem para solos do RS e SC. 10.ed. Porto Alegre: SBSC. 394p.

COOMBS C et al. 2017. Legume cover crop management on nitrogen dynamics and yield in grain corn systems. Field Crops Research 201: 75-85.

CUNHA EQ et al. 2011. Atributos químicos de solo sob produção orgânica influenciados pelo preparo e por plantas de cobertura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 15: 1021-1029.

DEBIASI H et al. 2013. Sistemas de preparo do solo: trinta anos de pesquisas na Embrapa Soja. Londrina: Embrapa Soja. Documentos 342. 72p.

DOMIT LA et al. 2014. Tempo de adoção do sistema plantio direto e a relação com atributos do solo. Revista Agrarian 7: 560-569.

DONEDA A et al. 2012. Fitomassa e decomposição de resíduos de plantas de cobertura puras e consorciadas. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 1714-1723.

EMBRAPA. 1997. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Manual de Métodos de Análise de Solo. 2.ed. RJ: EMBRAPA-CNPS. 212p.

FAGERIA NK et al. 2005. Role of cover crops in improving soil and row crop productivity. Communications in Soil Science and Plant Analysis 36: 2733-2757.

FEBRAPDP. 2014. Federação Brasileira do Plantio Direto na Palha. Evolução do Sistema Plantio Direto no Paraná. 4p. Disponível em: https://febrapdp.org.br/download/EVOLUCAO_DO_SPD_NO_PARANA_2014.pdf. Acesso em: 02 set. 2018.

FRANCHINI JC et al. 2011. Rotação de culturas: prática que confere maior sustentabilidade à produção agrícola. Piracicaba: Informações Agronômicas. p. 1-13.

FORTE TS et al. 2018. Coberturas vegetais do solo e manejo de cultivo e suas contribuições para as culturas agrícolas. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 13: 1-10.

GIACOMINI SJ et al. 2003a. Matéria seca, relação C/N e acúmulo de nitrogênio, fósforo e potássio em misturas de plantas de cobertura de solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 325-334.

GIACOMINI SJ et al. 2003b. Liberação de fósforo e potássio durante a decomposição de resíduos culturais em plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira 38: 1097-1104.

GIACOMINI SJ et al. 2004. Consorciação de plantas de cobertura antecedendo o milho em plantio direto. II - Nitrogênio acumulado pelo milho e produtividade de grãos. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 751-762.

GUARESCHI RF et al. 2012. Deposição de resíduos vegetais, matéria orgânica leve, estoques de carbono e nitrogênio e fósforo remanescente sob diferentes sistemas de manejo no Cerrado Goiano. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 909-920.

GUPPY CN et al. 2005. Competitive sorption reactions between phosphorus and organic matter in soil: A review. Australian Journal Soil Research 43: 189-202.

HADAS A et al. 2004. Rates of decomposition of plant residues and available nitrogen in soil, related to residue composition through simulation of carbon and nitrogen turnover. Soil Biology and Biochemestry 36: 255-266.

IBGE. 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Área plantada de Cereais, Leguminosas e Oleaginosas - Brasil (Hectares). Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/agricultura-e-pecuaria/9201-levantamento-sistematico-da-producao-agricola.html?=&t=series-historicas . Acesso em: 02 set. 2018.

MICHELON CJ et al. 2007. Qualidade física dos solos irrigados no Rio Grande do Sul. Ciência Rural 37: 1308-1315.

MIGUEZ FE & BOLLERO GA. 2005. Review of corn yield response under winter cover cropping systems using meta- analytic methods. Crop Science 45: 2318-2329.

NASCENTE AS et al. 2014. Viabilidade agroeconômica de rotação de culturas e manejo do solo em áreas irrigadas por aspersão. Revista de Ciências Agrárias 57: 72-79.

NICOLOSO RS et al. 2008. Eficiência da escarificação mecânica e biológica na melhoria dos atributos físicos de um Latossolo muito argiloso e no incremento do rendimento de soja. Revista Brasileira de Ciência do Solo 32: 1735-1742.

PLAZA-BONILLA D et al. 2016. Grain legume – based rotations managed under conventional tillage need cover crops to mitigate soil organic matter losses. Soil and Tillage Research 156: 33-43.

REBELLO C & TURETTA APD. 2017. Ferramentas para avaliação do potencial à prestação de serviços ambientais pelo Sistema plantio direto. Rio de Janeiro: EMBRAPA. 6p. (Comunicado técnico).

REDIN M et al. 2014. How the chemical composition and heterogeneity of crop residue mixture decomposing at the soil surface affects C and N mineralization. Soil Biology and Biochemistry 78: 65-75.

REEVES DW. 1994. Cover crops and rotations. In: HATFIELD JL & STEWARD BA (Eds.). Crops Residue Management. Advances in Soil Science. Boca Raton: Lewis Publisher. p. 125-172.

RHEINHEIMER DS et al. 1998. Modificações em atributos químicos de solo arenoso sob sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 22: 713-723.

SILVA EC da et al. 2006. Manejo de nitrogênio no milho sob plantio direto com diferentes plantas de cobertura, em Latossolo Vermelho. Pesquisa Agropecuária Brasileira 41: 477-486.

SILVEIRA JUNIOR SD et al. 2012. Qualidade física de um latossolo vermelho sob plantio direto submetido a descompactação mecânica e biológica. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 1854-1867.

SISTI CPJ et al. 2004. Change in carbon and nitrogen stocks in soil under 13 years of conventional or zero tillage in southern Brazil. Soil and Tillage Research 76: 39-58.

SCHUSSLER RJ & WESTGATE ME. 1991. Maize kernel set at low potential: I. Sensitivy to reduced assimilates during early kernel growth. Crop Science 31: 1189-1195.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 174p.

TONITTO C et al. 2006. Replacing bare fallow with cober crops in fertilizer intensive cropping systems a meta-analsis of crop yield and N dinamics. Agriculture Ecosystems and Environment 112: 58-72.

ZIECH ARD et al. 2015. Proteção do solo por plantas de cobertura de ciclo hibernal na região Sul do Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira 50: 374-382.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711812019230

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171