Vermicomposto bioenriquecido com Trichoderma spp.

Cleudson José Michelon, Lethícia Rosa Neto, Pâmela Oruoski, Marília Boff de Oliveira, Caroline Castilhos Vieira, Emanuele Junges

Resumo


A ciclagem de resíduos de origem animal pelo processo de compostagem e sua transformação em insumos para produção vegetal além de minimizarem os impactos ambientais, podem ser uma importante fonte de renda ao produtor. Além disso, a compostagem desses resíduos produz um insumo agrícola com elevado potencial na produção de hortaliças e com possibilidade de associação com organismos de controle biológico, possibilitando a produção de um substrato ecologicamente correto, rico em nutrientes e protetor da saúde das plantas. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência do fungo Trichoderma spp. durante o processo de vermicompostagem, as alterações físico/químicas ocasionadas no substrato e o crescimento e desenvolvimento de plantas de alface cultivadas. Foram avaliados, como substratos base, resíduos da criação de ovinos; cavalos e coelhos, com ou sem a adição de Trichoderma spp. Em todos os tratamentos foram adicionadas minhocas da espécie Eisenia fetida. Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial 3x2 e o delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com 4 repetições O fungo Trichoderma spp. sobrevive durante o processo de vermicompostagem dos diferentes resíduos. A utilização de Trichoderma spp. não teve efeito nos teores de fósforo, magnésio e matéria orgânica, reduziu os valores de cálcio, elevou os teores de potássio para o substrato a base de coelho, aumentou a densidade seca do substrato base de resíduos de coelho e reduziu do substrato base de resíduos de cavalos. O substrato que proporcionou o melhor crescimento e desenvolvimento de plantas de alface foi o de resíduos de criação de cavalos, sendo favorecido pela presença de Trichoderma spp. no segundo ano de cultivo.

Palavras-chave


fertilizantes orgânicos, Eisenia foetida, compostagem.

Texto completo:

PDF

Referências


AIRA M et al. 2007. Eisenia fetida (Oligochaeta: Lumbricidae) modifies the structure and physiological capabilities of microbial communities improving carbon mineralization during vermicomposting of pig manure. Microbial Ecology 54: 662-671.

ALTOMARE CG et al. 1999. Solubilization of phosphates and micronutrients by the plant-growth promoting and biocontrol fungus Trichoderma harzianum Rifai 1295-22. Applied and Environmental Microbiology 65: 2926-2933.

AMORIM AC et al. 2005. Compostagem e vermicompostagem de dejetos de caprinos: efeito das estações do ano. Engenharia Agrícola 25: 57-66.

ARAÚJO NETO SE de. et al. 2009. Produção de muda orgânica de pimentão com diferentes substratos. Ciência Rural 39: 1408-1413.

BASSACO AC. 2014. Uso de resíduos de origem animal biotransformados na produção de mudas de alface. Dissertação. (Mestrado em Agrobiologia). Santa Maria: UFSM. 49p.

BROTMAN Y et al. 2010. Trichoderma. Current Biology 20: 390-391.

BUCIO JL et al. 2015. Trichoderma as biostimulant: exploiting the multilevel properties of a plant beneficial fungus. Scientia Horticulturae 196: 109-123.

BUSATO JG et al. 2012. Changes in labile phosphorus forms during maturation of vermicompost enriched with phosphorus-solubilizing and diazotrophic bacteria. Bioresource Technology 110: 390-395.

COLLA G et al. 2015. Co-inoculation of Glomus intraradices and Trichoderma atroviride acts as a biostimulant to promote growth, yield and nutrient uptake of vegetable crops. Journal of the Science of Food and Agriculture 95: 1706-1715.

CQFS-RS/SC. 2004. Comissão de Química e Fertilidade do Solo. Manual de adubação e calagem para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10.ed. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 400p.

COTTA JAO et al. 2015. Compostagem versus vermicompostagem: comparação das técnicas utilizando resíduos vegetais, esterco bovino e serragem. Engenharia Sanitária e Ambiental 20: 65-78.

DINIZ KA et al. 2006. Húmus como substrato para a produção de mudas de tomate, pimentão e alface. Bioscience Journal 22: 63-70.

DOMINGUEZ J. 2004. State of the art and new perspectives on vermicomposting Research. In: EDWARDS CA. (Ed.). Earthworm ecology. 2nd ed. Boca Raton: CRC Press. p. 401-424.

DURIGON MR et al. 2014. Adubações orgânicas e mineral e controle biológico sobre a incidência de podridões de colmo e produtividade de milho. Semina: Ciências Agrárias 35: 1249-1256.

FERMINO MH. 2003. Métodos de análises para caracterização física de substratos para plantas. Tese. (Doutorado em Fitotecnia). Porto Alegre: UFRGS. 104p.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

GARD P et al. 2006. Vermicomposting of different types of waste using Eisenia foetida: A comparative study. Bioresource Technology 97: 391-395.

GONZALEZ JAZ et al. 2009. Acúmulo de ácido oxálico e cristais de cálcio em ectomicorrizas de eucalipto: II – formação de cristais de oxalato de cálcio induzida por fungos ectomicorrízicos em raízes laterais finas. Revista Brasileira de Ciência do Solo 33: 555-562.

HARMAN GE. 2000. Myth and dogmas of biocontrol changes in perceptions derived from research on Trichoderma harzianum T- 22. Plant Disease 84: 377-393.

HOFFMANN G. 1970. Verbindliche Metroden zur Untersuchung von TKS und Garterischen Erden. Mittelungen der VSLUFA 6: 129-153.

INBAR MJ et al. 1994. Plant growth enhancement and disease control bay Trichoderma harzianum in vegetable seedlings grown under commercial conditions. European Journal of Plant Pathology 100: 337-346.

JONES RW et al. 1988. Plant growth response to the phytotoxin viridiol produced by the fungus Gliocladium virens. Weed Science 36: 683-687.

KUBICEK CP et al. 2008. Fungal genus Hypocrea/Trichoderma from barcodes to biodiversity. Journal of Zhejiang University. Science. B. 9: 753-763.

LAZCANO C et al. 2008. Comparison of the effectiveness of composting and vermicomposting for the biological stabilization of cattle manure. Chemosphere 72: 1013-1019.

LORES M et al. 2006. Using FAME profiles for the characterization of animal wastes and vermicomposts. Soil Biology and Biochemistry 38: 2993-2996.

MAENZ DD & CLASSEN HL. 1998. Phytase activity in the small intestinal brush border membrane of the chicken. Poultry Science 87: 557-563.

MANSELL GP et al. 1981. Plant availability of phosphorous in dead herbage ingested by surface casting earthworms. Soil Biology & Biochemistry 13: 163-167.

MORALES DA et al. 2013. Utilização dos Diferentes Vermicompostos Produzidos a Partir de Resíduos da Estação de Tratamento de Efluentes como Substrato para Produção de Mudas de Alface. Ciência e Natura 35: 55-63.

PEIXOTO CP & PEIXOTO MFSP. 2009. Dinâmica do crescimento vegetal: princípios básicos. In: CARVALHO CAL et al. Tópicos em ciências agrárias. Cruz das Almas: Nova Civilização. p. 37-53.

PRATES HS et al. 2007. Composição mineral de mudas cítricas com aplicações de Trichoderma spp. São Paulo: IPNI. p. 4-5. (Informações Agronômicas nº 118).

SATCHELL JE & MARTIN K. 1984. Phosphate activity in earthworm faeces. Soil Biology and Biochemistry 16: 191-194.

SILVA AC & AGUIAR IJA. 2001. Micromorfologia da degradação de madeira da espécie amazônica Hura crepitans L. por fungos lignolíticos pertencentes a classe Hymenomycetes. Acta Amazonica 31: 397-418.

SOUZA EGF et al. 2013. Emergência e desenvolvimento de mudas de tomate IPA 6 em substratos, contendo esterco ovino. Revista Ceres 60: 902-907.

TAMAI MA et al. 2002. Avaliação de fungos entomopatogênicos para o controle de Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae). Arquivo do Instituto Biológico 69: 77-84.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 147p. (Boletim técnico, 5).

VINALE F et al. 2008. Trichoderma-plant-pathogen interactions. Soil Biology & Biochemistry 40:1-10.

WANG Y et al. 2005. Effect of cyadox on growth and nutrient digestibility in weanling pigs. South African Journal of Animal Science 35: 117-125.

WIETHAN MMS. 2015. Vermicompostagem e desenvolvimento inicial de alface em doses superiores de Trichoderma. Dissertação (Mestrado em Agrobiologia). Santa Maria: UFSM. 53p.

YOBO KS et al. 2011. Effects of single and combined inoculations of selected Trichoderma and Bacillus isolates on growth of dry bean and biological control of Rhizoctonia solani damping-off. African Journal of Biotechnology 10: 8746-8756.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/23811711712018107

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171